O Sábado de aleluia e o Judas nosso de cada dia

Pois bem, nos dias atuais, vemos um ex-presidente da República sendo "perseguido, malhado e torturado" todos os dias, pela imprensa e pelos oposicionistas ao governo Dilma Rousseff

Pois bem, nos dias atuais, vemos um ex-presidente da República sendo "perseguido, malhado e torturado" todos os dias, pela imprensa e pelos oposicionistas ao governo Dilma Rousseff
Pois bem, nos dias atuais, vemos um ex-presidente da República sendo "perseguido, malhado e torturado" todos os dias, pela imprensa e pelos oposicionistas ao governo Dilma Rousseff (Foto: Ricardo Fonseca)

A história de que Judas negociou seu mestre por 30 moedas todo mundo conhece. Afinal, estamos na semana santa. Sábado de Aleluia é época de refletir quem é ou são os nossos, ou nosso Judas de todo dia.

Este sábado (26) é considerado o primeiro dia depois da crucificação e morte de Jesus Cristo, em que milhares de católicos se reúnem para orar até amanhã (27), domingo de Páscoa. A Vigília Pascal está relacionada com a preparação para a ressurreição de Cristo, que segundo a Bíblia, aconteceu três dias após a sua morte.

Hoje também é o dia de "malhar o Judas", tradição popular em que pessoas fazem bonecos de pano, penduram em postes ou placas para torturar o boneco até a morte (enforcado ou queimado), representando o Judas Iscariotes, discípulo que teria traído Jesus Cristo.

Pois bem, nos dias atuais, vemos um ex-presidente da República sendo "perseguido, malhado e torturado" todos os dias, pela imprensa e pelos oposicionistas ao governo Dilma Rousseff. Criaram e comercializaram um Judas presidiário denominado de "Pixuleco". Um boneco horroroso que nem de longe lembra o líder mundial Luiz Inácio Lula da Silva. Fizeram mais que isso, apesar de apelarem para o linchamento moral dele, julgaram e condenaram-no sem crime algum, de forma espetaculosa e através de ampla campanha midiática antes, durante e depois das manifestações Vips da elite gourmet brasileira.

Judas traiu, sim, Jesus, mas qual foi a traição de Lula para ser comparado a Judas? Usufruir do sítio de um amigo e nele desfrutar momentos de lazer com a família? Tentaram ligá-lo ao mensalão petista, mas não conseguiram. Depois a um tríplex no Guarujá do qual a família comprou uma cota e depois desistiu da compra. Sequestraram-no no episódio coercitivo, com a presunção de culpa e condenação sumária, no cumprimento a um "estupro à Constituição."

Quem de fato é o nosso Judas de cada dia? Aquele que comete absurdos travestido de executor das leis? Ou aquele que nada fez a não ser o bem aos brasileiros?

Não é piegas reconhecer que o programa "Bolsa Família", um dos projetos mais bem sucedidos da administração pública mundial, retirou mais de 36 milhões de pessoas da linha da pobreza extrema. Isso os telejornais nacionais não mostram, nem sai em capas de revistas ou manchetes dos jornalões. Sabem por quê? Porque os dominantes querem continuar dominando e, óbvio, isso não vende e não traz retorno financeiro suficiente para encher os bolsos dos poderosos.

O mais triste disso tudo é que os meios de comunicação de massa tradicionais, apesar da força das redes sociais, ainda detém uma grande parcela influenciadora na opinião pública. E essa influência se torna danosa, a partir do momento que factoides viram fatos reais e mentiras repetidamente se transformam em verdades absolutas.

Graças a Deus nem todos os que detêm o poder das leis foram contaminados pelo vírus do ódio, da intolerância e dos extremismos judicias. Existem aqueles que privam pelo bom senso, pela manutenção dos preceitos fundamentais da Constituição, pelo equilíbrio dos poderes e instituições brasileiras.

"A maior corrupção que pode existir numa sociedade é a desigualdade, é a injustiça social", disse o estadista Flávio Dino, em seu discurso, no ato dos juristas pela democracia semana passada. E completou: "Ontem as forças armadas, hoje a toga supostamente imparcial e democrática". Essa é a condição para se analisar um Judas do século XXI, travestido de herói bravo e combatente da corrupção de apenas uns, em detrimento de muitos outros...

O sábio é ético Ministro do STF Teori Zavascki disse em seu discurso no evento onde recebeu o título honorário da cidade de Ribeirão Preto-SP ao Juiz Sérgio Moro: "Primeiro e mais importante, talvez basilar, é princípio da imparcialidade supõe uma série de outros pré-requisitos... que seja discreto, que tenha prudência... que não se deixe contaminar por holofotes... que se manifeste no processo depois de ouvir as duas partes... É preciso que um Juiz tenha serenidade... Serenidade significa dizer que não seja contaminado por paixões de qualquer natureza... a paixão é cega!"

Essa é a verdadeira lição que essa Páscoa do ano de 2016 traz para todos nós: As pessoas estão invertendo os seus valores e as suas paixões pelo que é correto, sério, legítimo e verdadeiro. Em detrimento ao que é recebido e entronizado em seus lares e mentes todos os dias da semana, através das TVs, rádios, jornais e revistas que propagam as investidas da operação Lava Jato, como a principal e solução para todos os problemas nacionais. Parando a indústria da engenharia brasileira e, por consequência, diminuindo em mais de 2% o PIB do Brasil.

Criar instabilidade e colapso na política brasileira, apoiar o impeachment da Dilma (sem matéria legal para isso) e incentivar mega manifestações de ódio e intolerância contra os direitos conquistados na Constituição é o que, senão a verdadeira traição à Paz, as instituições, a democracia, aos direitos e lutas conquistadas pelos brasileiros?

Deem ao Juiz Sérgio Moro, o anti-herói da Constituição e da democracia, o que é de fato de Judas! Uma boa malhação em seus "Morolecos" neste dia (sou contra todo e qualquer tipo de violência física) ou em todos aqueles Judas que nele esteja o verdadeiro sentido figurado.

Uma boa Páscoa a todos! #PorUmBrasilMelhor

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247