O último refúgio do canalha

De tudo que ouvi de Bolsonaro na ONU, a parte que mais me chamou a atenção foi a que evocou em mim, no final do discurso no estilo hitlerista, carregado de ódio e de falso patriotismo, a frase célebre do grande pensador inglês, Samuel Johnson: “O patriotismo é o último refúgio do canalha”

(Foto: Marcos Corrêa - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Discordo das afirmações de que Bolsonaro fez um discurso agressivo na ONU. Ele fez um discurso estúpido. Revelou em sua natureza crua a total falta de cultura e de educação, a imbecilidade revestida de ideologia nacionalista, as tiradas de patriotismo hipócrita. 

Posso perdoar, embora não poderei esquecer a afirmação de que a Amazônia não seja um patrimônio da humanidade, como se qualquer pedaço de terra no mundo não fosse um patrimônio comum dos humanos. Posso perdoar, embora não poderei esquecer, o insulto gratuito aos socialistas do mundo inteiro a partir de uma figura patética, que dá todos os sinais de que sequer saber o que é socialismo. Posso perdoar, mas não esquecerei da infame acusação aos índios  como culpadoss pelas queimadas da Amazônia. Posso perdoar, mas não poderei esquecer a manipulação pública de uma índia em plena Assembléia Geral para justificar uma política indigenista de extermínio cultural.

De tudo que ouvi de Bolsonaro na ONU, a parte  que mais me chamou a atenção foi a que evocou em mim, no final do discurso no estilo hitlerista, carregado de ódio e de falso patriotismo, a frase célebre do grande pensador inglês, Samuel Johnson: “O patriotismo é o último refúgio do canalha.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email