Os 85 anos de Luíza Erundina!

Luíza Erundina agremia elogios e aplausos ambidestros. Tanto esquerda como direita são obrigados a reconhecer sua honestidade intelectual, sua militância aguerrida, lucidez e forte apelo pela justiça social

(Foto: LUCIO BERNARDO JR)

Hoje Luiza Erundina completa 85 anos. 

Da menina que se forçou reprovar o 5o ano escolar para não deixar de estudar, pois sua cidade não dispunha de curso ginasial, à militante aguerrida, fundadora do Partido dos Trabalhadores (PT) e que firmou suas bases nas ligas camponesas, Erundina agremia elogios e aplausos ambidestros. Tanto esquerda como direita são obrigados a reconhecer sua honestidade intelectual, sua militância aguerrida, lucidez e forte apelo pela justiça social. 

Erundina nasceu na Paraíba, em 30 de novembro de 1934, numa realidade muito pobre: desde cedo tinha que ajudar sua família e vendia os bolos caseiros que sua mãe fazia. Mas seu ímpeto era o de estudar era tanto que se forçou a reprovar o 5o ano para não parar de estudar, pois infelizmente sua cidade não dispunha de curso ginasial. Sua história é inteira permeada de lutas: da sua graduação em Serviço Social às Ligas Camponesas se opondo fortemente à ditadura militar, Erundina sempre foi perseguida por aqueles belicosos que não podiam aceitar o diferente, especialmente vindo de uma mulher, nordestina e de esquerda.

Dois dos mais altos pontos de sua vida política, é claro, foram a fundação do PT, em 1980, e sua gestão da Prefeitura de São Paulo, de 1989 - 1993 que, para mim, foi disparadamente a melhor das gestões, apresento meus porquês:

- Primeiro ponto a ser destacado é a formação do seu secretariado, que era um verdadeiro ministério! Paulo Freire (Educação)/ Mario Sérgio Cortella, Marilena Chauí (Cultura), Hélio Bicudo (Negócios Jurídicos), Eduardo Jorge (Saúde), Tereza Lajolo (Transportes), Paulo Azevedo (Vias Públicas), Lúcio Gregori (Serviços e Obras), Luiz Eduardo Greenhalgh (Negócios Extraordinários), Paul Singer (Planejamento), Erminia Maricato (Habitação), Juarez Soares (Esportes e Recreação), Aldaíza Sposati (Administrações Regionais), Marta Campos (Bem-Estar Social), José Eduardo Cardozo (Governo), Fermino Fecchio (Administração), Adhemar Gianini (Abastecimento), Amin Khair (Finanças) e Perseu Abramo (Comunicação). 

Compete destacar alguns dos atributos, do gabarito deste pessoal? Vou falar sobre alguns, (admito, meus favoritos). Paulo Freire é o patrono da educação e um dos 100 autores mais citados em todas as universidades do mundo. Marilena Chauí é Profa. emérita da USP desde 1967, uma das maiores referências da área de filosofia no país, detentora de honoris causa e profa. convidada em diversos cursos de pós-graduação ao redor do mundo. Paul Singer é um dos mais brilhantes economistas o país já contou, defensor ferrenho da dignidade humana, foi também o maior teórico e prático da economia solidária e um pesquisador respeitadíssimo. Ermínia Maricato é uma arquiteta, urbanista e uma das mais conceituadas referências na questão de planejamento urbano, conselheira do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos e uma dos baluartes da Política Nacional do Desenvolvimento Urbano. Hélio Bicudo (muito antes de ter sido o precursor do pedido de impeachment da Dilma), foi o promotor que conseguiu terminar e condenar as ações do Esquadrão da Morte (seu livro "Dossiê Esquadrão da Morte" é uma obra que vale a pena ser lida).

Todos os outros também foram e são extremamente capazes e relevantes à história do país e em especial em suas áreas de atuação.

- Os resultados foram bastante positivos. Abaixo um resumo das pastas principais:

Na educação, mais de 150 mil novas vagas, mais de 70 novas escolas e reforma de pelo menos 200 escolas, além da criação de mais de 1000 núcleos de alfabetização nas periferias usando os métodos freireanos, com o fortalecimento da participação das comunidades nas gestões das escolas, através dos conselhos deliberativos. Mais de 7800 docentes foram contratados para a rede de ensino e os índices de reprovação caíram de 22% para 12%. Os alunos do supletivo saltaram de 26mil para 100 mil no período noturno.

Na Habitação, 43mil casas foram construídas através de mutirões. Fóruns setoriais foram organizados para realizar o planejamento local, que envolvia os planos para desapropriações, recuperações e novos projetos de interesse social. Assim, 20 projetos foram iniciados e concluídos para a recuperação de cortiços, 130 favelas foram urbanizadas, 130 mil famílias que viviam em área de risco foram realocados e mais de 180 mil famílias com problemas jurídicos de habitação tiveram atendimento gratuito. 180 loteamentos foram regularizados (favorecendo 160 mil pessoas) e importante de se destacar que as edificações possuíam excelente qualidade.

Na Cultura, o projeto de cidadania cultural estipulou a cultura como um direito coletivo. 20 bibliotecas foram reformadas, 5 bibliotecas de bairro foram criadas e teve início a 1a gibiteca brasileira. Os ônibus biblioteca passaram a andar pela periferia, levando livros e cultura às áreas mais afastadas. A compra de livros bateu 718 mil exemplares. Assim como também reformou-se o teatro municipal e a biblioteca Mário de Andrade, além da criação de 14 casas culturais. A cultura deixou de ser de um privilégio e passou a ser visto como um direito a todos.

Na Saúde, 6 novos hospitais foram criados e 175 unidades de saúde já existentes foram expandidas, o que ativou mais de 800 leitos hospitalares. As ambulâncias saltaram em números e 182 novas foram incorporadas e 55 reformadas, o que reduziu o tempo de espera média por resgate de 40 para 18 minutos. 17 mil novos quadros foram incorporados à pasta. A pasta da saúde de Erundina também foi pioneira na criação de programas escolares de prevenção à AIDS e uma das primeiras a assegurar a garantia de atendimento ao aborto legal. Além de ter aumentado o atendimento às vítimas de violência.

As pastas de Erundina fizeram a enorme função de dar pertencimento social à gestão, de integrar o povo e suas necessidades e carência ao poder público. O que Erundina fez em São Paulo foi recuperar a cidade aos trabalhadores e garantir dignidade àqueles que antes eram excluídos de qualquer esfera pública, uma democracia verdadeiramente participativa.

Por estas e outras que, em meus olhos, Erundina foi -e para sempre será - a melhor prefeita de São Paulo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247