Os dados da pesquisa CNT/MDA que a mídia omite

A mídia procura, a todo custo, criar um clima de que apenas o governo federal sofre com a crise política e econômica que vivemos hoje

A mídia procura, a todo custo, criar um clima de que apenas o governo federal sofre com a crise política e econômica que vivemos hoje
A mídia procura, a todo custo, criar um clima de que apenas o governo federal sofre com a crise política e econômica que vivemos hoje (Foto: Thiago Pará)

Foi publicada nesta semana os dados da pesquisa da CNT/MDA, realizada nos dias 12 e 13 de junho deste ano.

A publicação trouxe um dado, alarmante, que foi amplamente difundido pela grande mídia brasileira: 62,8% dos entrevistados DEFENDEM O IMPEACHMENT da presidenta Dilma Rousseff.

 

A mesma pesquisa traz, no entanto, dados que são muito importantes de serem refletidos e difundidos, mas que são sistematicamente omitidos pela grande mídia. Podemos também, deles tirar algumas conclusões.

Primeiro, sobre a DOAÇÃO DE EMPRESAS PARA CAMPANHAS POLÍTICAS, temos um dado expressivo. São mais de 78% dos entrevistados, os contrários à doação de empresas para campanhas políticas.

 

Vale lembrar ainda que, em junho, o Conselho Federal da OAB encomendou ao Instituto Datafolha a pesquisa sobre o mesmo tema. O resultado foi semelhante, a diferença foi que a reação do sr. Eduardo Cunha foi a de um "cão raivoso", procurando desmoralizar a OAB pela coragem que teve em enfrentar as ações arbitrárias do presidente da Câmara.

Segundo, se é baixa a confiança dos entrevistados na instituição GOVERNO, é mais baixa ainda a confiança dos mesmos na instituição CONGRESSO. Ou seja, a mídia procura, a todo custo, criar um clima de que apenas o governo federal sofre com a crise política e econômica que vivemos hoje. Os brasileiros reprovam as medidas do governo, mas reprovam mais ainda as ações do Congresso Nacional.

 

A própria mídia vem perdendo cada vez mais a credibilidade. Nessa mesma pesquisa, como aparece no gráfico acima, a IMPRENSA não está tão bem avaliada ou mesmo tão longe do "volume morto", no qual se encontram o Governo, o Congresso Nacional e os partidos políticos.

Ou seja, se por um lado temos a escalada conservadora, que vai criando através da mídia sua bandeira política, o impeachment, por outro lado temos a sociedade cada vez mais desacreditada das instituições políticas, especialmente o executivo e legislativo.

Isso abre possibilidades para as forças democráticas e populares pautarem e construírem, com o mesmo empenho, sua bandeira política, que seja consequente e radical, que reorganize a sociedade e suas instituições, em bases mais justas e soberanas.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247