Os três movimentos do eleitorado que podem levar Lula à vitória no primeiro turno

"1) Crescimento de Lula entre indecisos; 2) Voto útil; 3) Voto amedrontado", elenca Bepe Damasco

www.brasil247.com - Luiz Inácio Lula da Silva
Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Ricardo Stuckert)


Nesta reta final do primeiro turno das eleições presidenciais, com mais de 80% dos eleitores se dizendo convencidos de seu voto, é difícil que pesquisas feitas com uma semana de intervalo apresentem variações fora da margem de erro.

Então, para saber se houve alguma modificação real na disputa, é preciso olhar para o conjunto de dados captados pela pesquisa do Ipec divulgada na noite desta segunda-feira (19).

E todos os números apontam na mesma direção. Lula subiu de 46% para 47% e Bolsonaro se manteve com 31%, mas o ex-presidente passou de 51% para 52% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro recuou de 35% para 34%.  Já a diferença entre Lula e Bolsonaro em um eventual segundo turno, que era de 17 pontos percentuais, na semana passada, chegou a 19 pontos agora.

Bolsonaro manteve o percentual de 50% que garante não votar nele em hipótese alguma, mas a rejeição a Lula oscilou para baixo, de 35% para 33%.

As alterações são mínimas, mas como se verificam de forma homogênea em praticamente todos os itens importantes do levantamento, acabam conformando uma tendência positiva para Lula no que tange à vitória no primeiro turno, faltando apenas 12 dias para o pleito. 

Outro dado relevante do Ipec: o movimento pelo voto útil ainda não fez efeito entre os eleitores de Ciro e  Simone Tebet. No entanto, começa a aparecer o avanço de Lula no contingente de eleitores que pretende votar nulo e branco, que caiu de 6% para 5%.

Sobre o voto útil, a manutenção de Ciro e Tebet nos mesmos patamares da pesquisa anterior, 7% e 5% (+1%), respectivamente, indica que a parcela dos eleitores desses dois candidatos que pode mudar de voto o fará às vésperas ou até no dia da eleição.

Mais ou menos como aconteceu na eleição para a prefeitura do Rio, em 2016, quando na última hora os eleitores de Jandira Feghali resolveram descarregar votos em Marcelo Freixo.

Hoje, em artigo no UOL, o jornalista José Roberto Toledo levanta uma vertente interessante do voto em Lula. É o “voto amedrontado”, que parte de pessoas que temem revelar sua opção por Lula, pois isso “pode representar a perda da marmita ou da vida.”

Tudo isso considerado, são três os caminhos que podem levar o Brasil a se livrar do fascismo já em 2 de outubro: 1) Crescimento de Lula entre os indecisos; 2) Voto útil decidido nos dias que antecedem às eleições, ou mesmo no próprio 2 de outubro; 3) Voto amedrontado.

Além de muita rua e muita rede por parte da militância.

Venceremos.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247