Os verdadeiros filhos de Goebbels

Alex Solnik destaca um ponto em comum entre o governo nazista e o governo Bolsonaro, além do rearmamento da população, que também foi um "elemento-chave da política nacional alemã após a chegada ao poder dos nazistas"; "A agenda mais importante do governo, a que o governo acalenta com mais carinho, não é a reforma da previdência, nem reforma nenhuma; é a destruição do PT ou o que eles chamam de 'comunismo'. Hitler também lutava contra os bolcheviques", afirma, em artigo para o Jornalistas pela Democracia

Os verdadeiros filhos de Goebbels
Os verdadeiros filhos de Goebbels

Por Alex Solnik, para o Jornalistas pela Democracia - O rearmamento da população foi um elemento-chave da política nacional alemã após a chegada ao poder dos nazistas, no início de 1933.

Mas esse não é o único ponto em comum entre o governo nazista e o governo Bolsonaro, que imitou a sua política de rearmamento exatamente 86 anos depois.

A agenda mais importante do governo, a que o governo acalenta com mais carinho, não é a reforma da previdência, nem reforma nenhuma; é a destruição do PT ou o que eles chamam de "comunismo". Hitler também lutava contra os bolcheviques.

O pilar de sustentação do nazismo era o antissemitismo; o deste governo é o antipetismo. E isso afeta a todos os brasileiros, não só aos petistas.

Afeta a democracia brasileira.

Hitler manteve seu poder sustentado pela maior máquina de propaganda política até então organizada. Não havia WhatsApp, mas já havia fake news em profusão. O nazismo usou e abusou de fake news o tempo todo para justificar a guerra e impor o terror por treze anos.

Antes de invadir os países vizinhos, por exemplo, Goebbels espalhou por todos os meios disponíveis à época a fake news de que os moradores locais estavam maltratando alemães que moravam lá. Era necessário ir em seu socorro. O miserável sem escrúpulos tratou de convencer os alemães de que não era ato de ataque, mas de defesa. Malfeitores e vilões eram os outros. Os alemães eram puros, não queriam fazer mal a ninguém.

Antes de adotar a Solução Final contra os judeus, antes de deportá-los para campos de extermínio, Goebbels fez a cabeça dos alemães. Mandou retratar os judeus, em todos os meios, inclusive em caricaturas sob encomenda, como sub-humanos, pertencentes a uma sub-raça, portadores de doenças contagiosas, irremediavelmente viciados em sexo e dinheiro. Judeu fazia mal. Não podia viver ao lado de puros alemães. Poderia contaminá-los.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Ainda assim, Goebbels jamais permitiu que fosse veiculado que estavam sendo castigados ou para onde eram levados. Informava que saíam de áreas onde moravam alemães para "outras áreas". Nos campos, forçavam as vítimas a remeter cartões postais contando que estavam sendo bem tratadas.

Governos autoritários precisam de dois elementos básicos: uma poderosa máquina de propaganda e um grande vilão. Essa é a fórmula, ontem, hoje e amanhã.

A criação do WhstApp, do twitter e do facebook dispensou Goebbels. Não precisa mais de um gênio do mal. A família Bolsonaro dá conta do recado. Os filhos de Bolsonaro são mais filhos de Goebbels. A fórmula é a mesma de Hitler: denegrir ao limite os outros e exaltar a si próprios. Enganar a população com falsos horizontes. E assim manter o poder discricionário a qualquer custo alegando pretender "salvar o Brasil".

Os bolsonaristas já escolheram os seus "judeus". O que está em curso é a preparação do terreno para fazer com os esquerdistas em geral – e em especial com os petistas – o que os nazistas fizeram com os judeus: convencer a população de que fazem mal ao Brasil. Nessa fase os petistas são taxados de "ladrões", "criminosos", "vermelhos", "ateus", "apátridas".

O segundo passo é o extermínio do partido, a destruição de seus líderes.

Na Alemanha, a ofensiva começou pelos judeus, depois atingiu todos os alemães, que pagaram e pagam até hoje pelas atrocidades cometidas por Hitler. Aqui está começando pelos petistas.

Nos anos 70, certos intelectuais diziam que os publicitários eram "filhos de Goebbels". Mal sabiam eles que os verdadeiros filhos de Goebbels iriam surgir muito mais tarde.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247