Oxford fez acordo com quem tem pacto com a peste

"É urgente encontrar a salvação, mas também é preciso que Oxford faça acordo com um governo que subestimou a pandemia? Um governo que despreza doentes e mortos e que agora pode pegar carona no grande feito do século 21", escreve o jornalista Moisés Mendes

www.brasil247.com - Recipientes com adesivo "Vacina Covid-19"
Recipientes com adesivo "Vacina Covid-19" (Foto: REUTERS/Dado Ruvic)


Por Moisés Mendes, para o Jornalistas pela Democracia 

O governo é sustentado pela fúria de fundamentalistas religiosos, militares, negacionistas, golpistas e aliados de milicianos.

Um ministro da Educação era analfabeto e odiava índios e chineses, o outro é acusado de forjar títulos e de plagiar textos acadêmicos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro debocha da ciência, o ministro do Meio Ambiente devasta a Amazônia, metade do governo acredita que a Terra é plana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A outra metade não acredita que exista pandemia, o ministro das Relações Exteriores combate o multilateralismo e a globalização, a ministra dos Direitos Humanos vê Jesus em goiabeiras e não vê feminicídios.

Mas o Brasil e a Universidade de Oxford aliaram-se na luta para produzir uma vacina que salvará o mundo. Passaram por Oxford mais de meia centena de vencedores do Prêmio Nobel e 27 primeiros-ministros britânicos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A universidade decisiva para a ciência, a razão e a inteligência do Renascimento, que combateu o obscurantismo, que acolheu e protegeu intelectuais fugidos do nazismo, essa universidade pode ajudar a salvar a reputação de Bolsonaro?

O país que enfrenta a pandemia sem ministro da Saúde, em que o presidente da República recorre à Justiça para circular sem máscara, em que todos os avanços civilizatórios são destruídos por ações do governo, esse país está a caminho de produzir a vacina contra a peste?

Bolsonaro, o governante mais repulsivo do planeta, que só consegue se dirigir aos familiares dos que morrem infectados se tiver a ajuda de um gaiteiro, o indivíduo que mais adiante poderá ser julgado por uma corte internacional como genocida, esse cara poderá sair dizendo que ele, a ciência e Oxford, nessa ordem, ajudaram a salvar o mundo?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É um dilema que não é só do Brasil, é da humanidade. É urgente  encontrar a salvação, mas também é preciso que Oxford faça acordo com um governo que subestimou a pandemia?

Um governo que despreza doentes e mortos e que agora pode pegar carona no grande feito do século 21.

Deveremos nos envergonhar se a produção da vacina contra o coronavírus for associada, não à Fiocruz e a seus cientistas, mas ao nome de um sujeito que fez pacto com a peste e com a morte.

A vacina pode ser produzida por Cuba, pela França, por Angola, pela Finlândia, pela Transnístria, com ou sem Oxford, mas nunca poderia resultar de um acordo com o Brasil da era Bolsonaro. É indecente.

Fiquem com os outros parceiros que brigam contra a pandemia, e não com os que se aliaram ao surto. O mundo tem mais de 200 países. Não é preciso que a vacina dependa do Brasil.

Fujam da armadilha do orgulho de mais uma farsa nacionalista que vai associar a descoberta contra a peste às trevas bolsonaristas.

Não caiam na arapuca oportunista da extrema direita de que só teremos a vacina se ela for ‘nossa’. Não sejam terraplanistas e oportunistas. Deixem os desatinos da euforia verde-amarela para os fascistas.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email