Padre Severino e a luta dos profetas perseguidos

Padre Severino sempre recebeu ameaças de morte. Incomodou muitos poderosos em muitas cidades. Ajudou milhares e milhares de famílias sem terra e sem-teto. Se ele for pra um lugar afastado de tudo, corre o risco de ser assassinado

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sou amigo pessoal de Padre Severino. Seu trabalho é uma referência em todo o Brasil no apoio aos trabalhadores rurais na cidade de Promissão, na Diocese de Lins e em todo o Estado de São Paulo por sua atuação na Comissão Pastoral da Terra. 

Abaixo segue meu depoimento e quem lê-lo, e conhecer do que estou falando, saberá que meu testemunho é verdadeiro e o faço por minha fé em Jesus Cristo, que por essa razão, jamais faltaria com a verdade, absolutamente expressa nesse testemunho e denúncia.

A Igreja particular de Lins sabe do convívio de Padre Severino e sua relação com os pobres, com os sem-terra e com os desvalidos da sociedade.

É incrível como diante da Igreja em saída de Francisco, da Igreja de Jesus Cristo, um imitador tão próximo daquilo que pensa e faz o nosso Papa, um fiel seguidor dos ensinamentos do Evangelho em sua radicalidade na pobreza e na ação libertadora, estejamos vendo um sacerdote católico passar pelo que está passando nosso querido Padre Severino.

Quem o conhece sabe de seu desapego ao poder, de sua intransigente defesa do Evangelho na prática cotidiana na relação com os pobres e humildes deste mundo. Suas vestes surradas e sua humildade o precede. Cego de um olho, em razão de um acidente de trabalho, enxerga com o coração o que lhe falta de visão física.

O despojamento de Padre Severino converte, emociona e cativa, diante de uma Igreja, que lamentavelmente, não raro vemos padres com sede de poder, que sangram suas comunidades e paróquias exigindo carros novos, casas confortáveis, condições materiais acima da média de seu próprio rebanho e comunidades atendidas, temos o exemplo que incomoda e constrange ao clericalismo. Padre Severino converte por sua prática. Muito me lembra a orientação de São Francisco de Assis que dizia: "Vão e preguem o Evangelho e se for necessário, falem".

Padre Severino sempre teve pouco dinheiro pra fazer seu pastoreio. E o pouco que tinha, servia pra servir seu povo. De vestes surradas, jamais reclamou destes poucos recursos pra rodar por dezenas de assentamentos e acampamentos para levar conforto e uma palavra de esperança para os pobres.

Foi com Padre Severino que entendi o significado da Terra Prometida, contida no Antigo Testamento. O que Abraão fez na formação do Povo de Deus em busca de um lugar para que os filhos de Deus pudessem ter um lugar pra morar, depois, a luta do povo escravizado no Egito, com Moisés, vagando pelo deserto em busca da mesma Terra Prometida. 

Ontem e hoje, o significado da dignidade humana, de ter um lugar pra plantar, produzir e resistir permanece o mesmo. Para os Sem Terra, a luta pela Terra Santa, continua!  A palavra de Deus se converte numa ação prática e cotidiana, onde Deus se faz presente no meio dos pobres, seu povo, em busca de um lugar pra fazer moradia.

Foi com Padre Severino que descobri que uma "terra invadida" por Sem Terras não é "tomada" e, assim, o fazendeiro dono da terra improdutiva, não perde nada, pois a Reforma Agrária, quando acontece indeniza (paga) o proprietário pelo valor comercial, através dos cobiçados TDA's (Título de Dívida Agrária) do governo federal. Ou seja, não há prejuízo pra ninguém! Toda terra ocupada é paga. E caro!

Foi com Padre Severino que aprendi o significado de lutar ao lado do povo. Conheci padre Severino em 1998. Quem me apresentou a ele foi o saudoso Matu, do sindicato dos químicos e plásticos de São Paulo. Matu me dizia que embora fosse ateu, acreditava no Deus do Padre Severino. Aquele Deus que estava ao lado dos pobres, dos encarcerados, dos desvalidos e dos inconformados. Nesse Deus, ele acreditava. 

Eu ria e dizia que só havia esse Deus. É que os homens eram frágeis e não tinham conhecimento da Palavra que de fato liberta.

Hoje, vejo também o que significa ser profeta. Padre Severino é um deles. E como tal, está sendo perseguido. Padre Severino é aquele que não joga fora o caniço quebrado, nem tampouco apaga o pavio fumegante.

"Não esmagará o caniço quebrado, nem apagará o pavio fumegante; com verdade trará justiça."
Isaías 42:1-3

Ou seja, não despreza os miseráveis, nem faz pouco caso dos rejeitados. Por isso incomoda, por isso é perseguido, por isso, é que estão lhe tirando sua casa, lhe tirando metade do combustível do carro e pasmem, lhe cortando até mesmo parte  do Vale Alimentação. Estão lhe enviando para um local ermo, chamado Itel, sem comunidades, sem povo para pastorear. O que querem? Humilhá-lo e expô-lo?

Padre Severino sempre recebeu ameaças de morte. Incomodou muitos poderosos em muitas cidades. Ajudou milhares e milhares de famílias sem terra e sem-teto. Se ele for pra um lugar afastado de tudo, corre o risco de ser assassinado. É muito grave o que estão fazendo com ele. 

Clamo ao bispo de Lins, dom Francisco Carlos, clamo ao núncio apostólico do Brasil, Dom Giovanni d'Aniello e ao Papa Francisco que intervenham nessa situação. E espero que este depoimento chegue a estas autoridades da Igreja.

Padre Severino é uma referência ética e moral, uma referência sacerdotal e uma referência para os pequenos e desvalidos. 

Ele não pode ser tratado assim. É desumano e degradante. É desnecessário que os atuais padres de Promissão tenham esse comportamento e postura. É vergonhoso pra mim, como católico ver e não falar. Se eu não der esse testemunho, meu pecado é maior do que o dos homens que estão promovendo essa situação. 

Embora haja um problema, algumas coisas precisam ser ditas com clareza: 

A primeira delas é a de que a Diocese de Lins apoia o trabalho da CPT (Comissão Pastoral da Terra) e de Padre Severino em seu pastoreio tão fundamental e particular no sentido de seu trabalho específico;

A segunda é que a Igreja não está impedindo a ação de Padre Severino enquanto sacerdote.

A terceira é que o problema com Padre Severino se dá na Paróquia e não na Diocese. 

Da Diocese, o Padre Severino tem recebido o apoio ao seu trabalho e isso não é possível negar! De modo que nosso objetivo aqui e em toda a comunidade é a de solucionar o problema e não o piorar. 

Diante disso, nosso foco está em conseguir os recursos necessários para a construção da nova casa de Padre Severino para que seu trabalho seja fortalecido. 

Qualquer coisa diferente disso, não edifica, não ajuda e não oferece solução para o que temos como objetivo.

Vamos nos concentrar e agradecer a Deus por esta nota! A Diocese reforça com ela, o compromisso com o trabalho pastoral de Padre Severino, que tem o apoio de Dom Francisco, bispo diocesano e dá garantias de que ele terá apoio financeiro, além de reconhecer sua ação como presbítero católico e por isso, como sacerdote! Isso é o que importa.

Como dizia Ernesto Cardenal, “é óbvio que há duas igrejas: uma é que está com os explorados. A outra prefere os exploradores. Mas só uma segue a palavra de Cristo: a que está com os pobres”.

Evidente que aqueles que defendem a ação pastoral de gente como Padre Severino tem os pobres como sua Igreja e opção preferencial. A estes, as bençãos de Deus! Por temor a Deus então eu falo, pois se eu não falar, as pedras falarão! 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247