Para impedir o rebrote do antissemitismo

Em defesa dos judeus e da humanidade, precisamos derrotar o sionismo

Benjamin Netanyahu
Benjamin Netanyahu (Foto: Abir Sultan/Pool via Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

O vídeo que estamos disponibilizando neste enlace (https://youtu.be/KTsDJ17uR9M) nos revela que a sociedade israelense está acometida de um sério problema, algo que se mostra ainda mais grave pelo fato de que a maioria dos cidadãos de Israel é composta por descendentes de pessoas que foram vítimas de um processo de morticínio similar ao que agora está sendo infligido a outro povo.

Nos pouco mais de dez minutos deste material, podemos constatar que boa parte dos cidadãos de Israel parece ter perdido toda e qualquer sensibilidade em relação com a dor e os sentimentos do povo palestino. Só o intenso processo de desumanização ao qual vem sendo submetido pode explicar porque, num momento em que sua própria existência se vê ameaçada e apesar de estarem sendo alvos das mais aberrantes atrocidades imagináveis, os palestinos vêm sendo objetos de constante escárnio e chacotas.

continua após o anúncio

O que poderia justificar tanta discriminação e perseguição a outro povo em uma sociedade na qual os judeus constituem a maioria e detêm o poder absoluto?

Eu me atreveria a responder a indagação recém formulada de maneira simples e curta: o sionismo.

continua após o anúncio

Até por volta de meados do século anterior, os judeus se caracterizavam por estar na linha de frente das grandes lutas pelas causas humanitárias e de justiça que se travavam pelo mundo afora. Basta revisar brevemente lances importantes da história para ali detectarmos a presença marcante de vários judeus humanistas em papel relevante.

Como não recordar o nome de Rosa Luxemburgo ao abordar as lutas dos trabalhadores alemães? Quem poderia se esquecer da figura de Joe Slovo no comando da resistência do povo sul-africano contra o apartheid? Como não mencionar Gus Hall que, mesmo no imensamente hostil ambiente imperante nos Estados Unidos, dispôs-se a encabeçar as mais decididas lutas visando pôr fim a deplorável segregação racial sobre a população negra estadunidense? E, para nós brasileiros, como ignorar a grandiosidade de uma Olga Benário, que imolou sua vida em nome da humanidade?

continua após o anúncio

Por isso, é com muita tristeza que hoje vemos as autoridades israelenses e os propagandistas do sionismo em outros lugares tentando forçar uma identificação entre ser judeu e ser sionista. Chega a ser asquerosa a ideia de que tenhamos que considerar como parte do mesmo perfil a seres que entregaram sua vida em prol das causas mais sentidas da humanidade e aqueles que cultuam o colonialismo, o supremacismo e o racismo, aqueles que não se perturbam ao assassinar quase 20.000 palestinos indefesos, sem se importar com que a maioria dos mortos sejam crianças e mulheres.

Ao apregoar massivamente a mensagem de que sionismo é igual a judaísmo, o que os sionistas desejam é encontrar amparo para seus monstruosos crimes de genocídio. Com seu comportamento, os sionistas esperam que a justa indignação que o mundo inteiro vem externando pela covarde carnificina que está em curso em Gaza neste exato instante seja considerada como uma demonstração de antissemitismo.

continua após o anúncio

É evidente que com sua insistência de usar todos os seus meios de comunicação para transmitir sua mensagem, muita gente pouco informada a respeito do sionismo pode mesmo enveredar por uma forte antipatia aos judeus como um todo. Num raciocínio simples, a coisa funcionaria assim: Se Israel comete atrocidades horripilantes, elimina cruelmente a milhares de seres indefesos, destrói suas casas, seus hospitais, suas escolas, etc., e se Israel faz tudo isso em nome do povo judeu, então, não seria tão difícil induzi-los a considerar aos judeus como responsáveis por toda essa prática maldita.

Portanto, para impedir que uma aversão insensata contra as comunidades judaicas volte a se manifestar, é dever de todos os humanistas dedicar seus esforços para derrotar a fonte que gera as condições para um rebrote do antissemitismo. E a fonte não é outra coisa que a ideologia colonialista, supremacista e racista constituída pelo sionismo. 

continua após o anúncio

Em defesa dos judeus e da humanidade, precisamos derrotar o SIONISMO.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247