Para quê serve a Folha de S. Paulo?

A Folha poderia ser mais aproveitada nas faculdades. Ela é um belo exemplo de como não se fazer jornalismo



Na última sexta-feira, 08 de novembro, a Folha de S. Paulo publicou a seguinte manchete: Prefeito sabia de tudo, diz fiscal preso, em gravação. Trata-se de matéria sobre fraude no Imposto Sobre Serviços (ISS) na prefeitura de São Paulo. O atual prefeito, Fernando Haddad (PT), constituiu uma controladoria que descobriu um grande esquema de desvios na gestão anterior de Gilberto Kassab (PSD).

Logo de cara, ao esquema se tornar público, quatro fiscais foram presos. Um dos suspeitos seria dono de um carro Porsche. O preço desses automóveis chega a 800 mil reais.

Ao revelar o esquema milionário, prender suspeitos, submetê-los a inquérito e, consequentemente, a julgamento, Haddad colocou o dedo na casa do maribondo. Pior, fez tudo isso em cima de um esquema antigo, da gestão anterior que, é ligada a José Serra (PSDB).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Kassab foi o vice do Serra na prefeitura que renunciou para ser candidato a governador de São Paulo em 2006. Em 2008, Kassab disputou contra Geraldo Alckmin do PSDB, mas sem o apoio do então governador, Serra, que apoiou Kassab. Portanto, atingir Kassab significa que fatalmente se atingirá Serra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o que isso tem a ver com a Folha de S. Paulo e sua manchete de 08 de novembro desse ano?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Qualquer desavisado ao ler aquilo pensará se tratar de Fernando Haddad e não do ex-prefeito Gilberto Kassab. A manchete honesta jornalisticamente seria: Kassab sabia de tudo, diz fiscal preso, em gravação. Como ilustrou bem, Ivan Freitas, autor da arte que ilustra esse texto.

A Folha é o típico jornal feito para a elite paulistana. Fonte de inspiração do Integralismo. Que odeia tudo o que tem viés popular. Apoiou a ditadura civil-militar e, tenta agora a todo custo, envolver Haddad no esquema que seus parceiros montaram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Infelizmente muita gente que não se enquadra no perfil da elite paulistana nutre por esse veículo impresso respeito ou admiração. Postura oriunda no conceito comum do que seria sucesso. Sucesso nas sociedades capitalistas é o seu aporte financeiro e não o que você faz, ou como você faz.

Se tem muito dinheiro ou, no caso, estrutura para ter o tamanho que tem – a Folha circula nacionalmente – é por que é bom. Não se leva em conta como se chegou até onde está. A única coisa mais ou menos na Folha de S. Paulo é o papel onde ela é impressa. Igual em todos os outros jornais impressos.

Sobre o caso dos fiscais da cidade de São Paulo, Fernando Haddad já afirmou que ninguém está livre de ser investigado se assim for necessário. Mais um ponto para ele.

Pelo menos uma coisa boa tem a Folha de S. Paulo. Ela poderia ser mais aproveitada nas faculdades de Jornalismo. Ela é um belo exemplo de como não fazer jornalismo. Serve para ilustrar aos estudantes que tipo de imprensa e de prática jornalística se quer no país. Se realmente vale a pena trabalhar em veículos "badalados", mas que produzem lixo.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email