Petabytes e inteligência artificial entre a ilusão e a realidade nas bolhas digitais

"Mais fácil domar as máquinas do Matrix, do que as ilusões produzidas e disseminadas para alimentar as dispersas bolhas", diz o jornalista Roberto Moraes

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


Esse mundo dos zilhões de dados que nos são capturados é que permite a construção da chamada Inteligência Artificial (IA). A unidade dos dados há muito saiu da casa dos gigabytes para os petabytes, mil vezes o terabytes que é também mil vezes maior que a já grande unidade de gigabytes e segue indefinidamente.

Sem essa captura dos nossos dados para traçar padrões e as tais redes neurais, a IA ainda estaria engatinhando, atrás do que hoje já existe, entre várias utilizações, as que servem ao mundo das finanças. 

Com seus milhares robôs e modelagens a partir dos Big Datas, o mundo das finanças já descobriu que as pessoas que apanham empréstimos às quartas-feiras, são melhores pagadores dos seus créditos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não há racionalidade nisso. São os dados frios dizem os especialistas que atuam na IA e vão extraindo cada vez mais valor de quem trabalha com essas inovações tecnológica-financeiras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Há nesse campo muito a ser compreendido. Porém, arrisco dizer que ao contrário do que muitos pensam, a IA não vai controlar os humanos com o aprendizado profundo de máquinas, como sugeriu o marcante filme Matrix de duas décadas atrás. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ameaça não é da IA e da máquina controlarem e dominarem o homem e sim ampliarem o controle sobre o nosso imaginário e suprimir, paulatinamente, a distância já muito reduzida entre o real e a ilusão, tema que o sociólogo francês, Baudrillard, se ocupou. 

Essa linha tênue entre o real e o digital projeta o metaverso, mas já existe entre o capital fictício e a economia real, entre o fato e a versão e entre as tais fake news e as narrativas. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tudo cada vez mais imbricado, complexo e difícil de ser decifrado. Talvez, fosse mais fácil domar as máquinas do Matrix, do que as ilusões produzidas e disseminadas para alimentar as dispersas bolhas que compõem o mundo contemporâneo.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email