PF tira de Bolsonaro discurso da corrupção e mostra que não está no golpe

Bolsonaro perde de forma irremediável as condições para executar uma das principais estratégias de sua campanha, que era apontar corrupção no PT e em Lula

www.brasil247.com -
(Foto: ABr)


Não chega a ser uma novidade o envolvimento do ex-ministro pastor Milton Ribeiro no escândalo de cobrança de propinas no MEC por colegas evangélicos que lhe foram indicados pelo presidente Jair Bolsonaro. Mas sua prisão, nesta manhã, tem forte impacto político. O mais óbvio, fulminar de vez um dos carros-chefes do discurso eleitoral de Bolsonaro de que não houve corrupção em seu governo. 

Bolsonaro perde de forma irremediável as condições para executar uma das principais estratégias de sua campanha, que era apontar corrupção no PT e em Lula e tentar posar de honesto. A situação se inverte, e temos agora um ex-presidente inocentado nas altas instâncias da Justiça e um adversário cujo governo está sendo investigado e teve um ministro preso.

Não se sabe o que Milton Ribeiro preso poderá dizer e nem qual será o curso e o alcance das investigações sobre o Planalto. A cem dias das investigações, nitroglicerina pura - que pode inclusive levar Bolsonaro a perder votos entre os evangélicos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o significado político-institucional da operação de hoje é ate mais importante do que sei impacto eleitoral. Um dia depois de o ministro da Justiça, Anderson Torres, instrumentalizar a Polícia Federal enviando ofício ao TSE avisando que ela fará uma apuração paralela da eleição, a instituição dá um aviso claro aos navegantes: não foi totalmente cooptada pelo governo Bolsonaro e está, no mínimo, dividida. Em outras palavras: a PF independente não vai entrar de cabeça no golpe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email