Picciani precisa ser solto!

Defender a liberdade de Picciani é defender uma sociedade menos hipócrita. Veja, goste você ou não, mas, quem terá tamanho para defender o povo do estado do Rio do fechamento da UERJ, recomendado pelo ministro da fazenda e candidato a presidente, Henrique Meirelles? 

Jorge Picciani 
Jorge Picciani  (Foto: Léo Gomes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

"Molto fumo e poco arrosto". Diz um conhecido ditado italiano que: "Muito barulho por nada". A prisão de Picciani, que deverá

e precisa ser revertida imediatamente pela Alerj, não passa disso. Um alvoroço, com enredo direcionado para conduzir as pessoas, com uma única finalidade: desviar o foco real.

Afinal, o que o espetáculo da Lava Jato, agora em solo carioca, faz com este nome e operação (prisão), quando sua "fundamentação" são os atos de corrupção na Petrobras? Apenas misturar fatos, criar mais ruptura, aumentar a crise institucional e deixar a economia ainda mais arrasada. Em suma, vai piorar tudo. Tudo mesmo!

Alemanha, Inglaterra, EUA e Japão, por exemplo, são recordistas em renuncias fiscais para as mais várias empresas, e não se viu/vê nisso, motivo para prisões e/ou conduções coercitivas. Aliás, muito ao contrário.

Na verdade, defende-se num estado democrático de direito as investigações, e, quando fundamentadas, as punições. Mas, no caso de Picciani, existe um espetáculo que ligam pontos desconexos com uma intensa pressão da midia, afim de gerar na sociedade um clima de guerra contra políticos e para mascarar a realidade, como, por exemplo, o caso da Rede Globo estar envolvida em corrupção na compra de jogos da Copa do Mundo. Aliás, é a primeira vez que a Globo passa por uma crise tão profunda, que pode levar ao fim da sua concessão, que é pública, por sinal.

Desta forma, defender a liberdade de Picciani é defender uma sociedade menos hipócrita.

Veja, goste você ou não, mas, quem terá tamanho para defender o povo do estado do Rio do fechamento da UERJ, recomendado pelo ministro da fazenda e candidato a presidente, Henrique Meirelles? Obviamente que não serão os que hoje comemoram a prisão do deputado, mas são alvos de casos clássicos de corrupção: nepotismo, sufrágio do erário público, obstrução da justiça, débitos de tributos públicos, ocultação de bens, isso sem falar do preconceito de classe, tão latente. Ou seja, não serão os donos dos dedos sujos, hoje em riste. Disso, o tempo cuidará! E rapidamente.

Portanto, é preciso estar atento ao carnaval que virou a judicialização da política com o consentimento de grande parte da população, para que você não aplauda o roubo da democracia, com vários presos políticos.

Logo, acredito num mecanismo fundamental da justiça: o voto, ou melhor, o sufrágio universal. Por isso, Picciani precisa ser solto, já!

Por fim, se estamos todos cansados da politicagem, e estamos, também estamos da sociedade dos falsos profetas. Pois, diante deste momento, necessita-se tirar o pano preto dos olhos e perceber aquela máxima italiana: "Uccello vecchio non entra in gabbia." Ou seja, "Macaco velho não trepa em galho seco".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247