Por onde passa, PMDB deixa um rastro de malandragem

O empresário Henrique Constantino disse também ter repassado propina pela mesma razão ao deputado Henrique Eduardo Alves, o primeiro a abandonar o governo Dilma, como ex-ministro do Turismo, para engrossar a turba golpista

Henrique Alves Michel Temer
Henrique Alves Michel Temer (Foto: Chico Vigilante)

O Brasil  foi surpreendido mais uma vez nesta noite de sábado, 18 de março, com mais um escândalo da república podre de Michel Temer.

O empresário Henrique Constantino, acionista da Gol Linhas Aéreas, confirmou aos procuradores  da Lava Jato ter pago propina para o ex-deputado Eduardo Cunha e o corretor Lúcio Funaro, ambos presos pela Operação Lava Jato, para contrair empréstimos de R$ 300 milhões do FGTS, da Caixa Econômica, setor controlado pelo PMDB.

Ele disse também ter repassado propina pela mesma razão ao deputado Henrique Eduardo Alves, o primeiro a abandonar o governo Dilma, como ex-ministro do Turismo, para engrossar a turba golpista.

O fato mostra mais uma vez que por onde o PMDB passa ele deixa um rastro inequívoco de malandragem. A corrupção peemedebista já atingiu o mar, a terra e o ar : escândalos da Petrobras, da carne podre e agora de companhia  aérea.

A saída para o fim desta república podre é a realização imediata de eleições diretas com uma Constituinte exclusiva, única forma de lavar este país com sal grosso para que entre novamente nos trilhos.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Jandira Feghali

O massacre como política

Quem deterá o governador Witzel? Com certeza não será sua humanidade, já que comprovou não lhe restar nenhuma. É preciso transformar nossa indignação em protestos e ações institucionais e políticas...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247