Por que as manifestações de ontem foram pífias?

Arrisco uma hipótese: o esvaziamento da manifestação deve-se ao fato deste último protesto, diferentemente dos outros, não ser mais contra o PT. Afinal, o PT já foi defenestrado

A Folha publicou em sua edição de hoje, a título de comparação, duas fotos aéreas da avenida Paulista, de duas manifestações distintas - ambas retratam a concentração de pessoas em torno do MASP.

Uma fotografia de uma manifestação em 2015, com cerca de 135.000 pessoas.

Outra, da manifestação de ontem, com cerca de 15.000 pessoas.

Afinal, o que distingue uma manifestação da outra – além da data?

Uma resposta possível: o momento político.

Qual o motivo da manifestação de ontem ter sido “pífia”, por assim dizer?

Outra: por que uma manifestação que era, a princípio, pelo “Fora, Temer” ou pelo “Fora, Todos” transformou-se, de repente, em um mero e ralo “Fora, Renan!”?

Arrisco uma hipótese: o esvaziamento da manifestação deve-se ao fato deste último protesto, diferentemente dos outros, não ser mais contra o PT. Afinal, o PT já foi defenestrado.

Por suposto, tampouco as centenas de milhares de manifestantes, vestidos de verde e amarelo, saíram às ruas em 2015 contra a corrupção. A motivação preponderante era apear os petistas do poder e, para alguns outros mais "fanáticos", minoria creio, instalar uma ditadura militar, uma “intervenção militar”.

Ou seja: os que realmente saíram às ruas até então para se manifestar contra a corrução e a favor da Lava Jato, constituem uma minoria.

O “Fora, Temer” foi, ao final, abortado (ou ignorado) porque essas manifestações parecem carecer de coerência e de boas intenções. Dentre outras carências.

Cá entre nós: parece ser tudo mais ou menos combinado entre as lideranças desses "protestos" e a fina flor do tucanato.

Pois, ao que tudo indica, a “jogada” seria entregar o poder nas mãos dos tucanos – seja agora em 2017 ou em 2018.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247