Por que o governo autoritário ataca tanto a cultura?

"O ataque à cultura é um ataque estratégico que visa instaurar a barbárie para os pobres, enquanto os muito ricos continuam cada vez mais ricos", aponta

www.brasil247.com -
(Foto: Isaac Nobrega / PR)


A cultura é um campo estratégico. Quem domina a cultura, domina a mentalidade de uma sociedade. Por isso, o capitalismo sempre pretendeu transformar-se ele mesmo em cultura. Mas ele evoluiu. Na verdade, de tempos em tempos, o capitalismo deixa cair a máscara. Um tipo específico de barbárie ligado ao encantamento das massas vem mostrar seu rosto. O seu nome é fascismo.

Em termos simples, estamos com o pé no abismo do totalitarismo do totalitarismo que é o fascismo. A morte violenta com o cancelamento do Estado - reservado mais uma vez aos ricos e usado pelos neoliberais como arma contra os pobres - está novamente em cena. Isso quer dizer que, ou as pessoas aderem à tendência dominante e se entregam ao fascismo reproduzindo os valores do capital nos moldes neoliberais em que vencedores e vencidos entram em guerra até não sobrar ninguém, e os mais fracos sempre são mortos sem ter sequer chance de lutar, ou passarão a ser atacadas e ameaçadas de morte até que sejam, de fato, mortas. Não sem antes serem chamados de « comunistas », expressão retórica que se tornou senha para a construção do inimigo, essencial ao caráter populista do fascismo. Isso porque o fascismo não admite nenhuma diferença. Pertencem ao espectro do que é chamado de comunismo todos aqueles que defendem direitos básicos como o direito à alimentação e a ao caráter genérico de uma vida digna (feministas, antirracistas, pessoas LGBTQIA+, indígenas inclusos). Quem não adere é tratado pelos fascistas como quem “não presta” e devem ser exterminados, não sem antes sofrer alguma forma de tortura. Atualmente, a tortura psíquica é lançada sobre a nação pelo rei do psicopoder e da hipnose, espantalho a serviço dos ricos e dos militares. Sem escrúpulos, sem respeito por seu país e por ninguém.

Se o capitalismo já era um totalitarismo, o fascismo é a estratégia para que ninguém duvide disso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ataque à cultura é um ataque estratégico que visa instaurar a barbárie para os pobres, enquanto os muito ricos continuam cada vez mais ricos. Os artistas, os produtores culturais, assim como intelectuais, professores e cientistas, são todos atacados com o mesmo objetivo, o de aniquilar as bases da sociedade. Sabemos que a cultura é a base da vida enquanto reino do comum a ser sempre reconstruído politicamente. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Que a Lei Rouanet tenha sido vilipendiada e usada como objeto de difamação contra ela mesma e contra agentes da cultura, que a Lei Aldir Blanc tenha sido vetada pelo genocida, são provas da guerra híbrida vivida contra o Brasil. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ódio está sendo instrumentalizado há anos. Se ainda houver eleições, pois há ameaça de golpe contra a eleição, temos que votar no amor esperando poder acordar desse pesadelo vivido coletivamente. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email