Precisamos resgatar a UERJ da lixeira neoliberal do Estado mínimo

O que está acontecendo com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, a nossa respeitada e querida UERJ, expressa muito bem a agonia de um povo sufocado pelas mãos insensíveis do governo golpista de Temer e por um governo estadual submisso e conivente

www.brasil247.com - Rio de Janeiro - Alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) mantém ocupação e impedem alunos, funcionários e professores de entraram na unidade e retornarem às aulas (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - Alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) mantém ocupação e impedem alunos, funcionários e professores de entraram na unidade e retornarem às aulas (Tânia Rêgo/Agência Brasil) (Foto: Benedita da Silva)


Quando uma universidade pública deixa de funcionar por falta de recursos é o futuro da sociedade que paga o preço. O que está acontecendo com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, a nossa respeitada e querida UERJ, expressa muito bem a agonia de um povo sufocado pelas mãos insensíveis do governo golpista de Temer e por um governo estadual submisso e conivente.

Há muito tempo que os estudantes, os docentes e os funcionários vêm denunciando a situação de sucateamento da Universidade. Salários e bolsas atrasadas há vários meses e serviços terceirizados em grande parte ou paralisados ou reduzidos ao mínimo.

Denuncio a gravíssima situação da UERJ porque defendo a educação pública gratuita e de qualidade e porque sabemos que a omissão do governo do Estado é na verdade uma política de se desfazer de tudo o que é público e de priorizar os interesses privados.

Não é algo acidental, mas uma política deliberada. Por isso estamos ajudando a mobilizar a sociedade democrática fluminense para não deixar a UERJ morrer. Sabemos que o governo federal deve ao estado do Rio de Janeiro cerca de 50 bilhões de reais da Lei Kandir e que as petroleiras se recusam a corrigir o valor desatualizado dos royalties. Além disso, temos conhecimento de que o governo federal, em 2016, arrecadou em nosso estado cerca de R$ 130 bilhões, mas devolveu ao estado e aos municípios fluminenses apenas R$ 20 bilhões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Digo isso para mostrar que, mesmo em momento de crise, o Rio de Janeiro tem recursos financeiros para resolver seus problemas, o que não tem é a vontade política do governo, tanto estadual como federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A luta pela sobrevivência da UERJ, como também a UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro), que está abandonada, lá em Campos, representa um movimento conjunto dos estudantes, seus maiores prejudicados, dos professores e funcionários, mas também do povo em geral, especialmente daqueles segmentos que não podem pagar uma faculdade particular. Precisamos resgatar a UERJ da lixeira neoliberal do Estado mínimo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A UERJ deve resistir! 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email