Projeto eleitoreiro de Bolsonaro joga milhares de famílias na pobreza

E muito mais que uma falha na execução das metas, o programa Auxílio Brasil não atingiu a mesma qualidade no trato com as pessoas de baixa renda

www.brasil247.com -
(Foto: Fotos: Agência Brasil)


Durante anos, o Bolsa Família desempenhou um papel fundamental na vida dos brasileiros e brasileiras. Referência mundial como um programa de transferência de renda que de fato funcionou, a política social do governo Lula tirou da extrema pobreza milhares de famílias — muitas que, antes, não tinham sequer o que comer.  

O programa cumpria exatamente as aspirações para as quais fora pensado: reduzir ao máximo a fome, a extrema pobreza, a falta de dignidade nos lares brasileiros e dar autonomia financeira à mulher. Era um verdadeiro sucesso! 

Mas, em novembro de 2021, após uma trajetória gloriosa, o Bolsa Família foi extinto. Em uma ação eleitoreira, o governo Bolsonaro extinguiu o programa por meio de uma Medida Provisória e o substituiu pelo chamado Auxílio Brasil, que, apesar de ter uma proposta de transferência de renda, não cumpriu com o prometido.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E muito mais que uma falha na execução das metas, o programa não atingiu a mesma qualidade no trato com as pessoas de baixa renda. Prova disso é que hoje, quase 765 mil famílias muito pobres esperam na fila pelo auxílio de R$ 400 mensais. Uma espera que tem demorado meses.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Enquanto a fila de espera só aumenta, os gastos no cartão coorporativo de Bolsonaro chegaram a 1,2 milhão por mês às vésperas da eleição. Ainda pensando na reeleição, o governo aumentou em seis vezes a verba para publicidade. Dados do Senado apontam que mudança vai permitir um aumento de R$ 25 milhões na verba para essa despesa neste ano.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não dá para esperar! Quem tem fome, tem pressa! Pensando em trazer de volta o mínimo de dignidade aos brasileiros, o plano de governo do ex-presidente Lula traz, entre outros pontos, diretrizes com um novo Bolsa Família renovado e ampliado.  A ideia é que o programa seja reformulado para garantir uma renda compatível à população com base nas atuais necessidades.  

Lula sabe que o povo brasileiro tem fome, tem pressa e que esse cenário não pode perdurar. Sabe também que o Bolsa Família de 2003 não se encaixaria na realidade do Brasil devastado deixado por Bolsonaro. Por isso, a necessidade de reformulá-lo e torná-lo ainda maior do que foi.   

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2023, teremos um novo Bolsa Família mais forte e mais amplo, além de um novo Brasil, sem fome e sem Bolsonaro.   

Não dá pra esperar! Quem tem fome, tem pressa! 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email