Qual é o temor dos gerentes da Petrobrás?

Quase 4 anos se passaram. Os planos de destruição da empresa iniciados com Bendine no governo Dilma, foram implementados por Parente com paralisação dos investimentos, venda de ativos rentáveis e política de preços de paridade de importação (PPI)



Em julho de 2017 escrevi artigo com este mesmo título. Na ocasião procurei descrever o patético pronunciamento do então presidente da Petrobrás Pedro Parente em jantar promovido pelo site Poder 360 em Brasília. 

Parente, que completava um ano à frente da empresa, se dizia surpreendido com a paralisia da gerência da companhia e afirmou “a média gerencia está paralisada, amedrontada” alegando tratar-se de uma reação à operação Lava Jato, “porque eles respondem com o CPF”. Segue o artigo completo : 

 https://www.aepet.org.br/w3/index.php/artigos/artigos-da-aepet-e-colaboradores/item/518-qual-e-o-temor-dos-gerentes-da-petrobras 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quase 4 anos se passaram. Os planos de destruição da empresa iniciados com Bendine no governo Dilma, foram implementados por Parente com paralisação dos investimentos, venda de ativos rentáveis e política de preços de paridade de importação (PPI).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os sucessores de Parente, Ivan Monteiro e Castello Branco, seguiram a mesma linha. Com isto, a Petrobrás que no período 2011/2014 sempre teve uma receita liquida superior a US$ 140 bilhões (US$ 144 bilhões em 2014) assistiu este número despencar para exíguos US$ 54 bilhões em 2020. Uma queda de US$ 90 bilhões, valor superior ao PIB de mais de 90% dos países do mundo. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As causas e os efeitos desta queda de receita podem ser melhor analisadas nos recentes artigos : “Por que, mesmo tendo sido dilapidada, Petrobrás consegue manter elevada geração de caixa ?” http://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/5973-por-que-mesmo-tendo-sido-dilapidada-nos-ultimos-anos-petrobras-consegue-manter-elevada-geracao-de-caixa e “O chamado “subsidio” aos preços dos combustíveis (2011/2014) foi benedico para o Brasil, Petrobrás, acionistas e consumidores” https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/6011-o-chamado-subsidio-aos-precos-de-combustiveis-2011-2014-foi-benefico-para-o-brasil-petrobras-acionistas-e-consumidores 

Ontem 14/04, o demitido ex-gerente de RH da Petrobrás, Cláudio da Costa (infelizmente duplamente meu homônimo),em entrevista à Exame destacou “desde de a descoberta da Operação Lava Jato, a empresa vive uma cultura extrema de denuncismo, em que o compliance vive num extremo oposto do que era antes” e também “essa cultura leva a uma apatia na gestão da empresa, o que faz com que gestores tenham medo de tomada de decisão” 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não vou falar das acusações que pesam sobre o ex RH, mas será que ele nem desconfia que a “apatia” existe muito mais em função do modelo de administração de pessoal implementado por ele e Castello Branco baseado no terrorismo, na coação e no assédio ? Este modelo fez com que a maioria dos bons e competentes gestores deixassem a companhia, aproveitando os PDV’s. Restaram, em grande maioria, os chamados “carreiristas” que nenhum compromisso tem com a história e o desenvolvimento da Petrobrás. 

O Gen. Silva e Luna vai ter muito trabalho 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email