Que tempos de retrocesso vivemos! Até o chicote voltou à baila

Agora, a foto do frouxo dando chicotada nas costas do apoiador do Lula é de um horror indescritível. Um verdadeiro absurdo. Vergonha mundial. Barbárie. Escrotice pura. O chicote não é apenas uma arma, é principalmente um símbolo de opressão, de preconceito, de racismo, de dominação, de poder de classe, de raiva

Agora, a foto do frouxo dando chicotada nas costas do apoiador do Lula é de um horror indescritível. Um verdadeiro absurdo. Vergonha mundial. Barbárie. Escrotice pura. O chicote não é apenas uma arma, é principalmente um símbolo de opressão, de preconceito, de racismo, de dominação, de poder de classe, de raiva
Agora, a foto do frouxo dando chicotada nas costas do apoiador do Lula é de um horror indescritível. Um verdadeiro absurdo. Vergonha mundial. Barbárie. Escrotice pura. O chicote não é apenas uma arma, é principalmente um símbolo de opressão, de preconceito, de racismo, de dominação, de poder de classe, de raiva (Foto: Edison Brito)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Chicote, bate chicote. Arrepia chicote. Zuni chicote. Arrebenta chicote. Corta a carne. Sangue escorre. Grita grito lancinante. Berra. Berra. Berra socorro. Medo. Vingança. Ódio. Asco. Chicotada de gente estúpida. De senhor, surra de feitor. Escravo foge, chicotada. Surra no desgraçado. Pelourinho. Negrinho, do pastoreio. Nego Fujão. Chicoteia, o imundo.

Jesus Cristo. Martírio. Chicote de couro. Chibata. Terror. Humilhação. Açoite de chicote. Galés, escravos. Rema. General de grandes batalhas. Açoita o soldado covarde. Exorciza os demônios.

No Brasil não se usa o chicote como arma, ou instrumento de punição há muito tempo. A marinha usava. Última vez foi... 22 de Novembro de 1910. Aí, chegou certo Almirante Negro, conhecido como  João Cândido Felisberto, e deu um basta.

Apontou os canhões do navio para o Rio de Janeiro, capital federal. Oficiais e governo bestificados e amedrontados, cederam, fim da chibata. Revolta da chibata. Houve traição nos acordos, por parte das autoridades, e João Candido foi preso. Preso... mas saiu vitorioso. Marinheiro hoje em dia não apanha com o chicotinho.

Canta João Bosco – “Há muito tempo nas águas/Da Guanabara/O dragão no mar reapareceu/ Na figura de um bravo/Feiticeiro/A quem a história/Não esqueceu
Conhecido como Navegante negro/Tinha a dignidade de um Mestre-sala...Rubras cascatas jorravam/Das costas/ Dos santos entre cantos
E chibatas/ Inundando o coração...”, Mestre Sala dos Mares.

Agora, a foto do frouxo dando chicotada nas costas do apoiador do Lula é de um horror indescritível. Um verdadeiro absurdo. Vergonha mundial. Barbárie. Escrotice pura.

O chicote não é apenas uma arma, é principalmente um símbolo de opressão, de preconceito, de racismo, de dominação, de poder de classe, de raiva.

Punição ao  “pudim de ódio”, eventualmente chamado de ser humano, que teve a covardia de surrar o outro com tal objeto.

Se não há tipificação para este tipo de crime no código penal, apelo aos direitos dos animais, como fez Sobral Pinto. Lei de Proteção aos Animais. Mas impune, não pode ficar.

George Orwell, em seu livro “A Revolução dos Bichos” escreveu, e os bichos cantaram: “...Não mais argolas em nossas ventas,/Dorsos livres dos arreios,/Freios e esporas, /descartados,/Chicotadas abolidas!...”.

Viram ? “Chicotadas abolidas!”. Esse é o horror da ditadura. 1945.

No entanto, se o ato do imbecil não der em nada, só servir de piadinha para rodas de amigos, tão estúpidos quanto o “sinhô”, o que resta a ser feito então?

Responde aí Geraldo Vandré:

“... Marinheiro, marinheiro/ Quero ver você no mar/ Eu também sou marinheiro/Eu também sei governar/Madeira de dar em doido

Vai descer até quebrar/ É a volta do cipó de aroeira/ No lombo de quem mandou dar/ É a volta do cipó de aroeira/ No lombo de quem mandou dar...”. Aroeira.

E tenho dito.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247