Quem com a faca fere, com a faca será ferido

Valdemiro Santiago foi esfaqueado com a mesma esperteza e voracidade com as quais costuma "esfaquear" as suas ovelhas para extrair delas o que elas têm de melhor: o dinheiro

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O apóstolo Valdemiro Santiago, CEO da Igreja Mundial do Poder de Deus, foi vítima de um atentado durante um culto que realizava em São Paulo. Um homem subiu ao altar e lhe desferiu golpes de faca, atingindo o seu pescoço e o fazendo levar 20 pontos. Graças a Deus (e não há ironia aqui) ele passa bem e até já gravou um vídeo no qual disse que perdoa o criminoso e abençoa os seus fiéis, avisando-lhes que em breve estará de volta. Esse é o problema.

É claro que a atitude do homem que atacou o apóstolo, identificado como Jonathan Higino, deve ser punida com rigor, pois se tratou de uma tentativa de assassinato. Não tenho nenhuma simpatia pelo tal "apóstolo" e entendo que ele é um estelionatário da fé, mas não podemos nos deixar levar pela cultura do ódio da direita extremista, que deseja e comemora sem a menor piedade, todo mal que se abate sobre os seus inimigos ideológicos. Um crime como esse não pode ficar impune, assim também como não deveria ficar impune o estelionato praticado pelo referido líder religioso.

Na linguagem popular a expressão "levar uma facada" significa perder uma quantia considerável de dinheiro, seja através da compra de algum produto, no conserto do carro, através daquela grana que o cunhado te pede emprestado e nunca paga ou em alguma campanha da prosperidade promovida pela igreja que você freqüenta. Uma facada sempre dói, seja no corpo, no bolso ou na alma. A história da humanidade nos mostra que ser apunhalado pelas costas é mais corriqueiro do que se possa imaginar. O Imperador romano Julio Cesar e a ex-presidente Dilma sabem bem disso. Aliás, foi uma facada que imortalizou uma frase, que veio a se tornar uma expressão histórica: "Até tu, Temer?"

Valdemiro Santiago foi esfaqueado com a mesma esperteza e voracidade com as quais costuma "esfaquear" as suas ovelhas para extrair delas o que elas têm de melhor. O dinheiro. E isso é a única coisa que os mantêm ligados. Ele quer o lucro que sabe que as ovelhas podem lhe dar e as ovelhas querem o retorno que acreditam cegamente que ele lhes dará. Ninguém desconfiou da verdadeira intenção do criminoso no altar e muito menos percebeu o enorme facão que ele carregava consigo. Da mesma forma, muitos não percebem as verdadeiras intenções do apóstolo e tampouco conseguem enxergar a faca da ganância que ele carrega escondida dentro de uma Bíblia.

Ele abre a Bíblia, pede para os fiéis fecharem os olhos e põe a faca entre os dentes. Cada palavra emitida por ele a partir desse momento é como uma lâmina bem afiada para acertar o coração. E ele é bom de mira. Claro que os fiéis também se comportam como alvos fáceis, mas não podemos subestimar a sua habilidade e precisão. A faca de Valdemiro Santiago é encantada e se transforma no objeto que ele quiser. Depende de como ele quer golpear as suas ovelhas. Chega fazer inveja ao cajado de Moisés. Ela toma forma de colherzinha de pedreiro, de tijolinho, de martelinho da justiça, de fronha para travesseiro, de lencinho umedecido pelo suor da sua própria cara de pau e outras armações que fazem o Mr. M se sentir um ilusionista de quinta categoria.

Não satisfeito com o dízimo, Valdemiro já pediu o trízimo a seus fiéis. Segundo ele, 10% era para Deus pai, 10% para Deus filho e 10% para o espírito santo. Uma espécie distribuição de propina da Odebrecht, só que santificada. Podemos chamar a isso de facada triplamente qualificada. Também para a obra de Deus, o irmão de chapéu de Beto Carrero já vendeu a seus fiéis uma meia no valor de 153 reais, prometendo a quem a calçasse, trilhar os bons caminhos da prosperidade. Nem o Príncipe Charles calçou um par de meias tão caro em toda sua vida. O ex-comedor de angu com taioba, como ele faz questão de citar para lembrar o seu passado de pobreza, também lançou uma campanha visando fazer com que 100 mil fiéis contribuíssem cada um, com trezentos reais. Isso renderia módicos 30 milh&otilde ;es de reais nas contas de Deus. E

São tantos bens e tanta grana no nome de Jesus que ele terá que voltar a terra sob condução coercitiva para explicar a origem de tanto dinheiro. Se ele disser que conquistou tudo só fazendo milagres ou vendendo carne moída, não vai colar. Alguns pastores nos mostram Deus de tal maneira, que às vezes chego a pensar que Deus é o Eduardo Cunha. Valdemiro Santiago e seus colegas de profissão precisam orar muito para que Deus não seja indiciado na lava jato. Ele sabe muito e conhece bem a todos eles. Já pensou se ele faz um acordo de delação premiada com o Juiz Moro? Seria um acordo dos Deuses. Não sobraria templo sobre templo.

A Valdemiro Santiago deixo os meus votos de pronta recuperação e o meu desejo de não mais vê-lo usando a Bíblia como uma faca de dois gumes, com a qual ele retalha a mente de ignorantes com um lado e esquarteja a alma de inocentes com o outro. Mas isso é utopia. A julgar pelo barulho das moedas, em breve teremos um facão ungido e afiado em Jerusalém, sendo vendido a 171 reais, para as ovelhas se protegerem de possíveis ataques inimigos. Major Olímpio e Bolsonaro vão comprar. Ah, se vão!

Tá repreendido!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247