Quem compra patrimônio público de golpista ladrão é ladrão receptador, ambos com grande futuro na cadeia

Desmontar a economia de um País gigante e populoso como o Brasil é um crime sem precedentes. Crime digno de traição e que deveria terminar em cadeia para os sediciosos corruptos que tomaram o poder central de assalto, com inacreditável aquiescência e cumplicidade do pior e mais elitista Judiciário do mundo

Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 12/07/2017 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 12/07/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Davis Sena Filho)

Não há mal que dure para sempre. Então, quando o Brasil se livrar da pior e malévola, infame e sórdida quadrilha composta por canalhas, que se organizaram em uma turba poderosa e que colocaram o Brasil dentro de uma camisa de força para roubá-lo, pilhá-lo ou esquartejá-lo, haveremos de ver esse bando de bandidos e desqualificados como cadáveres políticos e presos em cadeias, que lhes servirão adequadamente como seus covis, porque quadrilheiros ou bandoleiros simplesmente não têm a mínima compreensão do que é um lar, que simboliza a nação de todos os brasileiros.

Trata-se de fatos, ações e fatores incomuns, porque o Brasil e seu povo não estão a tratar com pessoas que têm a intenção de construir o Brasil e emancipar seu povo, por intermédio da igualdade de oportunidades e do desenvolvimento econômico e social. De forma alguma. O povo brasileiro está a enfrentar uma máfia, que tomou de assalto o Palácio do Planalto e não efetivou uma única ação que beneficie a população e seus trabalhadores. Uma única ação não foi realizada, mas, sim, atitudes e comportamentos que viabilizem o desmonte do patrimônio público e até a venda de enormes espaços geográficos de terras.

Além disso, no plano social, os bandoleiros ilegítimos e que evitam voar em aviões comerciais e frequentar espaços públicos para não serem linchados moralmente e, quiçá, fisicamente, não realizaram nada. Pelo contrário, estão a dar fim de maneira rápida aos programas de inclusão social, bem como os que são destinados a apoiar os jovens, no que diz respeito à inclusão educacional e o acesso à saúde e ao emprego.

A resumir: uma lástima total é o desgoverno dos bandoleiros, que têm profundo ódio ao Brasil e a seu povo. Trata-se de algo ou questão que terão de ser estudados, não somente pelos historiadores, mas também pelos sociólogos, antropólogos, psicanalistas e psicólogos. E por quê? Porque os golpistas e seus apoiadores de todos os segmentos e setores, desde o mundo empresarial aos ambientes jurídicos e midiáticos, realmente odeiam o Brasil e, para manter seus privilégios e benefícios políticos, financeiros e econômicos, destroem a economia do País, paralisam ou desmontam qualquer projeto e programa estratégico de independência e soberania, assim entregam o que puderem, a fórceps e a toque de caixa.

Nunca vi nada igual. Jamais, em toda minha vida, observei tanto desprezo e falta de vergonha na cara. A verdade é que um grupo político e econômico conquistou o poder mediante um golpe de estado travestido de legal e legítimo e armaram uma armadilha infernal, que levou à deposição de Dilma Rousseff e à perseguição ao PT e suas lideranças, a exemplo de Lula, Dilma, Genoíno e Dirceu, dentre muitas outras, sendo que a maioria foi presa ou acusada e processada pelo mecanismo chicaneiro e jurídico chamado de "domínio do fato", que somente serviu para encarcerar os políticos do PT, sendo que os do PSDB estão até hoje livres, leves e soltos, a rirem das nossas caras e a mandar no País, mesmo depois de terem perdido quatro eleições consecutivas.

A direita brasileira corrupta e violenta, dona da casa grande e inquestionavelmente escravocrata, não aceitou a quarta derrota e, juntamente com a maior golpista da história do Brasil, a família Marinho, proprietária das Organizações(?) Globo, realizaram a campanha midiática mais sórdida, infame, covarde e violenta contra governos e mandatários legítimos, constitucionais, trabalhistas e de esquerda, que ousaram colocar o Brasil em destaque em âmbito mundial, além de terem incluído pela primeira vez os pobres, os negros, os índios, os trabalhadores e todas os segmentos sociais historicamente "esquecidos" e oprimidos no Orçamento da União.

Agora, vamos ao que mais importa dentre as questões que também importam. Para que os golpistas e usurpadores vendam criminosamente o patrimônio público e suspendam os programas sociais que atendem a milhões de pobres, eles têm de necessariamente efetivar uma política de terra arrasada, de lesa-pátria e voltada aos interesses das corporações privadas e de governos estrangeiros.

Quero, na verdade, asseverar que o desgoverno corrupto e antinacional, antipopular e antidemocrático de *mi-shell temer, a ter à frente das péssimas decisões econômicas que afundam o Brasil propositalmente o empregado dos irmãos Joesley e Wesley Batista, o tucano e feitor de banqueiros, Henrique Meirelles, desconstrói o País porque é realmente a ferramenta de controle de uma plutocracia internacional e das oligarquias locais para que o Brasil fique eternamente como uma republiqueta bananeira e seu povo, iletrado e ignorante, não assuma jamais a condição de protagonista de sua própria história.

Explico melhor e dou como exemplo a péssima notícia relativa à divulgação da Secretaria do Tesouro Nacional, que no dia de hoje, 29/08, anunciou um déficit primário nas contas de R$ 20,15 bilhões somente em julho, o que vem a ser o maior rombo nas contas públicas em 20 anos. Um vexame, sem sombra dúvida, mas calculado e efetivado por agentes públicos do setor econômico e financeiro de um governo conservador e determinado a apenas atender os interesses do capital. Quero ainda lembrar que o dono da JBS (Friboi) não é e nunca foi o Lulinha. Para a surpresa do público, quem presidia a JBS para os irmãos Batista era o atual ministro da Fazenda, o Henrique Meirelles. Meirelles, para a vergonha nacional, era o empregado número 1 de gângsters e corruptos, que atualmente vivem nos EUA; e é exatamente este sujeito que hoje é o ministro golpista da Fazenda, que, propositalmente, destrói a economia brasileira para favorecer as bancas nacional e internacional. É mole ou quer mais?!

Porém, continuemos. A Secretaria do Tesouro anunciou ainda, para o júbilo e contentamento dos golpistas que entregam o Brasil de corpo e alma, que no acumulado no que diz respeito ao período de sete meses (janeiro-julho) de 2017 foi registrado déficit fiscal de R$ 76,27 bilhões, o pior dos últimos 21 anos. Trata-se realmente de valores colossais, que denotam as perdas do Brasil e de seu povo para que banqueiros, rentistas, especuladores e jogadores da bolsa — os que vivem dos capitais voláteis — sempre ganhem em detrimento da economia produtiva, que também é chamada de real e geradora de empregos.

A sociedade brasileira tem de entender e compreender que ela está a ser vítima de gângsters e golpistas, verdadeiros predadores que manipulam a economia para que ela possa servir como jogatina para os grande grupos do capital financeiro, que têm como seus braços de convencimento junto às populações as mídias privadas e controladas por magnatas bilionários de imprensa. É como se eles dissessem: "Olha, otário, ser roubado é legal e bacana. Então, concorde com a gente". E o pior é que temos no Brasil muitos otários, que concordam com toda essa insanidade e dão tiros nos próprios pés.

Não se engane, especificamente quanto ao povo brasileiro cujas famílias têm membros desempregados, assim como quanto à classe média coxinha, com cabeça feita pela imprensa de negócios privados, que diuturnamente trata de dizer também que vender tudo e ficar sem nada é "ótimo e maravilhoso", bem como retirar seus direitos trabalhistas e previdenciários é "sensacional". Durma-se com um barulho desse, até porque "pagar" de idiota tem limites.

A economia, para início de conversa e não restar dúvidas, é controlada pelas decisões governamentais de determinado mandatário eleito. Se o governante é da estirpe e da laia de *mi-shel temer, Henrique Meirelles et caterva, obviamente que as políticas públicas de inclusão social serão enfraquecidas ou extintas. É o que acontece agora, neste instante, no Brasil. A verdade é que quem compra estatal vendida por golpista ladrão é ladrão receptador, ambos com grande futuro na cadeia.

A economia é subalterna à política e às decisões do mandatário eleito e sua equipe. Não o contrário. Definitivamente, não é o que acontece quando um bando de golpistas desprovidos de votos, de autoridade moral e legitimidade resolvem, por meio de um golpe de caráter terceiro-mundista destruir, propositalmente, a economia brasileira e seu poderoso e imenso mercado interno — o tesouro dos tesouros para qualquer nação ser rica, independente e soberana.

Desmontar a economia de um País gigante e populoso como o Brasil é um crime sem precedentes. Crime digno de traição e que deveria terminar em cadeia para os sediciosos corruptos que tomaram o poder central de assalto, com inacreditável aquiescência e cumplicidade do pior e mais elitista Judiciário do mundo, que se juntou com a corja dos políticos do PSDB, a ter como rebarba a presença do PMDB e do DEM, que, a despeito das ações e denúncias do PGR Rodrigo Janot, tudo continua como dantes no quartel de Abrantes.

E por quê? Porque *mi-shell temer e seus comparsas de crimes e bandalhas continuam com a farra do feirão, que eles montaram para vender o Brasil e deixar o povo brasileiro e seus trabalhadores à míngua. Em países desenvolvidos e com um empresariado mais sério, menos corrupto e não mamador das tetas do Estado Nacional, certamente que o famigerado Amigo da Onça, vulgo *mi-shell temer, um dos maiores traidores do Brasil, se não for o maior, seria preso ou até mesmo levado à pena de morte após julgado por suas cortes.

Não é necessário ser economista para perceber que o Brasil não está a recuperar sua economia. Venderam gato por lebre para levar Dilma Rousseff à deposição e violar a Constituição. Evidentemente que Henrique Meirelles aprofunda a recessão ao ponto de o Brasil entrar em depressão, no que tange à economia. Enquanto isto o diabólico *temer, que jamais e em hipótese alguma realizou uma única ação que favorecesse o povo e os trabalhadores, pretende vender as estatais e ativos públicos como saída para sua incompetência, irresponsabilidade e total distanciamento e desconhecimento das questões brasileiras mais urgentes. Este governo radicalmente de direita, entreguista e de ladrões é irremediavelmente inimigo de seu próprio povo.

*mi-shell temer e sua equipe de bandoleiros de toda monta e espécie são, realisticamente, um deserto estéril de ideias, pensamentos e resoluções que favoreçam o Brasil. Apenas vendem, vendem e vendem as riquezas do País e a dignidade da nação, que está, parte dela, anestesiada, por se tratar da parte golpista, bem como a outra parte, que não conjurou a favor do golpe está a observar ansiosamente e desagradavelmente as extrapolias dos bandidos de direita que tomaram o poder de assalto, sem autoridade e legitimidade.

É como se estivesse tudo suspenso e em suspense. Não é fácil conviver com um golpe de estado, ao tempo que, para mim e muitos dos meus conhecidos, pois é inaceitável e doloroso ver o Brasil de joelhos, humilhado e tratado como País de quinta categoria, cucaracha, bananeiro, de terceiro mundo e entregue a uma das piores "elites" do planeta que vicejam em suas terras. Trata-se, peremptoriamente, da casa grande mais alienada, ordinária e perversa que existe no mundo, a acompanhá-la os coxinhas pobretões e brancos que pensam que são ricos, porque ganham um salário razoável. Pobres coitados... Até existe um montão de coxinhas insensatos e arrogantes que trabalham no serviço público e são privatistas. É de doer a burrice desses caras.

Contudo, para finalizar, o próximo presidente a ser eleito, e se for de esquerda, ele terá de tratar os empresários, as corporações privadas ou públicas e os governos de países que "compraram" o patrimônio público no "Feirão de Liquidação Brasil" como criminosos, ou melhor falando, receptadores de produtos roubados. Quem compra patrimônio público de governos golpistas e usurpadores é também ladrão - receptador.

A verdade é que o próximo presidente da República eleito pelo maioria do voto popular têm de confiscar ou tomar, sem vacilar, os "produtos" ilegais vendidos sem a autorização das urnas soberanas, cujo programa de governo apresentado ao povo brasileiro em 2014 não constava a entrega do patrimônio público à gringada pirata, malandra e esperta.

O que se sabe é que o programa do PT apresentado em 2014 por Dilma Rousseff ao povo deste País não abria mão da soberania, das riquezas e do patrimônio do Brasil. O desgoverno do incompetente, desditoso, traidor e inconsequente *mi-shell temer é algo inadmissível e imperdoável, pois se trata do autor do maior roubo e pirataria que se viu em todos os tempos no mundo ocidental. O lugar adequado a *mi-shell temer e quadrilha é a cadeia. Ladrão que compra de ladrão é receptador. Ponto! É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

O histerismo ideológico do clã Jair Messias e seus seguidores
Ariovaldo Ramos

Depressa!

Se houvesse necessidade, frente a qualquer inimigo externo, Deus levantava um ou uma líder, chamado de juiz ou de juíza, que comandava o povo contra o invasor e, assim, protegia o território e o...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247