Quem matou Zavascki?

Com o desaparecimento prematuro de Zavascki, a turma ganhou fôlego e segue tocando o destino dos brasileiros com a mesma postura de uma Madre Tereza de Calcutá. Do outro lado, o PT estraçalhado e sem ter mais o que perder

Quem matou Zavascki?
Quem matou Zavascki? (Foto: José Cruz)

Sobram controvérsias sobre o ministro.

Aparentemente era um profissional intocável, ético, hermético, de difícil acesso, conforme palavras do senador Jucá nas gravações do grampeador Sérgio Machado.

Já, no outro lado da linha ideológica, nas linhas e entrelinhas da imprensa independente, fala-se com insistência no magistrado fazendo adormecer nas suas gavetas durante 4 meses, os processos do megacorrupto Eduardo Cunha, mentor e condutor do processo que interrompeu o mandato da presidente Dilma outorgado pela vontade democrática dos brasileiros.

O ministro tinha plena consciência da gravidade e de seu poder de intervir, dentro dos preceitos da justiça, para que as regras democráticas vigentes não fossem violentadas por um conluio articulado pelo complexo elite-político-midiático. Só se dispôs a julgar o megacorrupto, 15 dias depois do megacorrupto consolidar as vias que derrubaram uma presidenta sem delações, sem propinas.

Sobraram críticas e ameaças de coxinhas e paneleiros quando Zavascki fez ressalvas severas aos procedimentos do semi-deus Moro, que grampeou indevidamente a presidente e liberou as gravações com escancarados objetivos políticos
Só Deus e os bastidores do Supremo conseguiram entender a atitude do ministro indicado por Dilma, quando recuou de suas convicções e manteve nas mãos do juiz midiático o destino do ex-presidente Lula

E a quem interessaria a morte do relator da Lava jato?

Anti-petistas bovinos fizeram circular nas redes sociais um amontoado de asneiras relacionando a queda do avião à manobras de petistas. Por mais que se tenha boa vontade, mas é irresistível a forte impressão de que paneleiros e coxinhas, de tanto sofrerem bombardeio da imprensa conservadora perderam a capacidade de raciocinar

Aos fatos:

O Supremo, sem provas para julgar os petistas do mensalão (quem fala é o jurista Ives direita volver Gandra), buscou inspiração em Nuremberg com a história de domínio do fato pra internar um bocado de petistas na Papuda, enquanto o juiz Moro mandou outros tantos pra cadeia.

De projeção só sobrou Lula, perseguido pela mídia, vasculhado pela Lava jato, sem foro privilegiado e sem provas para condená-lo
Portanto, não existem elementos que justifiquem grandes preocupações nas hostes petistas em relação à bomba de hidrogênio produzida pelas delações odebrechtianas.

já no covil do planalto, nas 77 delações que o magistrado prometeu tornar públicas, figuram com destaque Michel Temer, o líder Jucá, o ministro Eliseu Padilha e Moreira Franco, todos integrantes do núcleo íntimo do presidente e transitando com desenvoltura nos corredores do poder.

Não se pode deixar de referir que no mesmo balaio dos peemedebistas estão alguns tucanos de alta plumagem, como o governador Geraldo Alckimin, de muitas merendas, o medalha de ouro da Lava jato, Aécio Neves e o ministro José Serra, de outras corrupções privatizantes.

Com o desaparecimento prematuro de Zavascki, a turma ganhou fôlego e segue tocando o destino dos brasileiros com a mesma postura de uma Madre Tereza de Calcutá.

Do outro lado, o PT estraçalhado e sem ter mais o que perder.

E nos jardins do palácio do Jaburú, nas palavras da imprensa tradicional, o encontro de amigos de 30 anos - Temer (10 mi), Moreira (3 mi) e Gilmar (180 mil do mensalão mineiro).

Na visão dos brasileiros pensantes, as três 'flores imaculadas' da política brasileira conversavam mesmo era sobre a vaga de Teori Zavascki no Supremo e os caminhos mais curtos para 'estancar a sangria'.

As cenas seguintes desse filme de suspense (ou seria de terror?) deve mexer muito com o emocional do brasileiro.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247