Recessão continua em 2017: FMI rebaixa previsão de crescimento para 0,2%

Siga o Brasil 247 no Google News

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou nesta segunda-feira previsão de crescimento de apenas 0,2% para o Brasil em 2017, índice  menor que o divulgado na semana passada pelo boletim Focus do Banco Central e pelo Mundial, de 0,5%.  A previsão do FMI,  de crescimento maior, embora moderado, para as economias dos Estados Unidos e da China, é mais um indicador de que a estagnação brasileira tem um forte componente  interno, que é a incerteza dos agentes econômicos em relação ao futuro do governo Temer. Além de ilegítimo e impopular, e de enfrentar o processo de cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE, o governo  e o próprio presidente voltaram a ser chamuscados por um escândalo de corrupção, agora o Caixagate,  um esquema comandado por pessoas muito próximas do presidente, como Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha e Derziê Santanna, que cobravam propinas para a liberação de créditos junto à CEF.

                O ministro da Fazenda Henrique Meirelles acaba de anunciar que “o pior já passou”,  pontuando que o a recuperação do emprego virá mais lenta, só no final de 2017.  A recessão pode até já ter tocado o fundo do poço mas nada recomenda  a  esperança de dias melhores este ano.    Para encurtar o tempo de sofrimento dos brasileiros, a melhor receita continua sendo a relegitmação do governo federal por uma eleição direta ainda este ano, pondo fim à incerteza e à insegurança sobre os rumos do govern

PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email