Renunciar ou não, eis a questão!

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, decidirá a qualquer momento o seu futuro político: se renuncia para concorrer a uma vaga no Senado, ou se fica até o fim do mandato

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, decidirá a qualquer momento o seu futuro político, segundo informou no dia 20 de fevereiro o portal Imirante.com, de propriedade da sua família. Se renuncia para concorrer a uma vaga no Senado Federal, ou se fica até o fim do mandato. Porém, ela ainda enfrenta um grande dilema:

1 - Se renunciar, quem assumirá o governo, por lei, é o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão – ALEMA, deputado Arnaldo Melo (PMDB-MA), do mesmo partido e grupo político da governadora. Acontece que se Melo assumir o governo, ele não poderá concorrer à reeleição de deputado, só a de governador. Com isso, poria fim ao projeto de eleger o Super - Secretário de Infraestrutura Luís Fernando Silva (PMDB-MA), candidato declarado do Clã Sarney às eleições majoritárias.

2 - Caso decline de assumir o governo, segundo notícia que corre a boca pequena, Melo renunciaria e assumiria imediatamente à Secretaria de Saúde do estado. Com isso, teria o apoio incondicional de Roseana para fazer da sua filha Nina Melo, uma deputada estadual bem votada. Desta feita, quem assumiria seria o vice-governador eleito Washington Luís (PT-MA), que abriu mão do cargo ano passado por uma vaga de Conselheiro no Tribunal de Contas do Estado.

Toda essa situação inusitada forçaria, então, uma eleição indireta na ALEMA. Os deputados que, em sua maioria, apoiam o governo, elegeriam Luís Fernando Silva, governador tampão do Maranhão até outubro. E o mesmo concorreria à reeleição, conforme desejo da família Sarney.

Entretanto, dizem nos bastidores, que Melo acende uma vela pra Deus e outra para o capeta. Ou seja, mesmo fazendo parte do grupo político de Roseana, ele tem projetos pessoais, algumas rusgas e uma forte inclinação e trânsito para debandar-se rumo à oposição. Hipótese totalmente descartada pelos governistas, mas amplamente discutida pelos oposicionistas.

O fato é que Roseana tem até o dia 5 de abril para desincompatibilizar-se do cargo e concorrer a um mandato tido como certo de senadora pelo maranhão. "Eu sou política, não vou abandonar a política e vou continuar fazendo política", disse ela ao portal Imirante.com, em tom de quem vai buscar um novo mandato nas próximas eleições. #RenunciaRoseana

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email