Sartori, o professor que faz sangrar os professores gaúchos

Sartori é o professor que parcela e atrasa salários dos educadores, miserabilizando a situação dos trabalhadores em Educação, fechando escolas, unificando turmas, tomando decisões que criaram uma das piores crises na Educação gaúcha em toda história, o que parece ser uma das prerrogativas dos governos do MDB

Sartori, o professor que faz sangrar os professores gaúchos
Sartori, o professor que faz sangrar os professores gaúchos (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

É uma contradição muito grande o que acontece no Rio Grande do Sul, mas bem típica de governos voltados às elites que querem destruir o Estado. Sartori, governador do RS, é professor e filósofo. Já foi para a sala de aula. Sartori, professor, está destruindo a Educação gaúcha e fazendo sangrar os professores e todos os servidores públicos estaduais há mais de 30 meses, quando assumiu o governo.

Sartori é o professor que parcela e atrasa salários dos educadores, miserabilizando a situação dos trabalhadores em Educação, fechando escolas, unificando turmas, tomando decisões que criaram uma das piores crises na Educação gaúcha em toda história, o que parece ser uma das prerrogativas dos governos do MDB, pois Temer faz em nível nacional o desmanche nos avanços educacionais implementados com muita luta nos governos Lula e Dilma.

O desgoverno Sartori coloca sobre os ombros da classe trabalhadora gaúcha todo o peso de uma crise que o Rio Grande do Sul enfrenta há muito tempo. Mas jamais iremos aceitar que tentar resolver a crise seja sinônimo de sangrar o povo gaúcho e vender os patrimônios do Estado, como tem feito Sartori, o pior governador da história do Rio Grande. Sartori nem merece ser tratado como professor.

Este Estado já viveu experiências que mostraram ser possível desenvolver socioeconomicamente por meio de políticas democráticas, participativas, construtivas e que respeitem os direitos do povo trabalhador. Vivemos isso no governo Olívio Dutra, que nunca atrasou nem parcelou salários. Como secretária de Educação no governo Olívio, valorizamos os trabalhadores em Educação como nunca antes neste Estado.

Mas Sartori, em vez de ter aprendido com Olívio como se governa o Rio Grande do Sul, prefere fazer o povo gaúcho sofrer, pois negligenciar a remuneração correta pelo trabalho é tirar das pessoas a dignidade e negar a condição delas como cidadãs. E isso não podemos mais aceitar.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247