Se PT continuar na frente, as eleições poderão ser canceladas

O Lawfare, praticado sem moderação por Sérgio Moro e pela Justiça Federal, não conseguiu impor o silêncio do cárcere ao ex-sindicalista que, livre, arrasta multidões em suas caravanas – apesar dos ataques fascistas. Para impedir o PT de reassumir seu lugar de direito, o golpe precisará entrar em uma nova fase

Ato pela reforma agrária em Quedas do Iguaçu, no Paraná. #LulaPeloSul #LulaPeloParaná #LulaPeloBrasil #Lula Fotos: Ricardo Stuckert
Ato pela reforma agrária em Quedas do Iguaçu, no Paraná. #LulaPeloSul #LulaPeloParaná #LulaPeloBrasil #Lula Fotos: Ricardo Stuckert (Foto: Guilherme Coutinho)

Ricardo Noblat foi um dos profissionais da imprensa que mais apoiou o golpe de 2016. Atualmente na revista Veja, folhetim ideológico a serviço da direita, o jornalista não esconde sua proximidade com os ilegítimos inquilinos do Palácio do Planalto. Pois foi nessa condição que Noblat deu um sério recado: o jornalista anunciou que um ministro próximo ao Presidente duvidava que haveria eleições em outubro. A mensagem foi clara: o próprio governo já cogita cancelar o pleito como último recurso a uma vitória petista – que hoje, há pouco mais de 6 meses do pleito, poderia acontecer, eventualmente, até em primeiro turno. Resta saber se o próximo golpe de Temer contaria com a ajuda dos coronéis do Congresso ou com os generais do Exército.

O longo e árduo trabalho de desconstrução midiática e perseguição judicial a Lula parece não ter surtido os efeitos eleitoreiros desejados. O líder petista é líder em todas as pesquisas de intenção de voto e venceria em todos os cenários possíveis. Ainda pior para os golpistas, a perseguição parece estar gerando um efeito contrário: Lula continua crescendo nas intenções de voto, em todas as classes sociais e níveis de escolaridade. O Lawfare, praticado sem moderação por Sérgio Moro e pela Justiça Federal, não conseguiu impor o silêncio do cárcere ao ex-sindicalista que, livre, arrasta multidões em suas caravanas – apesar dos ataques fascistas. Para impedir o PT de reassumir seu lugar de direito, o golpe precisará entrar em uma nova fase.

Segundo Noblat, o ministro teria dito que que as eleições poderiam ser canceladas porque "o agravamento do quadro de tensão política no país não permitirá (a realização)". Uma frase genérica, que serve antes para preparar a população para uma possível medida vindoura do que uma sentença de quem visa a prevenção de uma situação que prece estar ficando insustentável. Se o governo federal considera o quadro político tão grave a ponto de romper definitivamente com a democracia, deveria estar tomando medidas concretas para garantir o voto e não admitindo sua supressão.

Noblat não vazou o comentário do ministro. Ele passou o recado com pleno consentimento de quem o proferiu. Sendo o ministro tão perto de Temer, é bem provável que o presidente ilegítimo também tenha tido a ciência prévia da mensagem antes de o jornalista a publicar em seu twitter. Ao que parece, estão fazendo de tudo para desconstruir o PT e aniquilar a esquerda, mas se ainda assim, o povo insistir em dar os votos ao partido, as eleições correm grande risco de não acontecer. Pois permitir a esquerda no poder parece não estar nos planos de quem dá as cartas no país dos golpes.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247