Todo ser humano é um rei

A manifestação odiosamente racista de Claudio Botelho, reflete o que está contido na alma podre de outros tantos, tão racistas e preconceituosos quanto ele, mas que por serem covardes e hipócritas, não têm coragem de apresentar no palco os seus conceitos fascistas e ordinários

A manifestação odiosamente racista de Claudio Botelho, reflete o que está contido na alma podre de outros tantos, tão racistas e preconceituosos quanto ele, mas que por serem covardes e hipócritas, não têm coragem de apresentar no palco os seus conceitos fascistas e ordinários
A manifestação odiosamente racista de Claudio Botelho, reflete o que está contido na alma podre de outros tantos, tão racistas e preconceituosos quanto ele, mas que por serem covardes e hipócritas, não têm coragem de apresentar no palco os seus conceitos fascistas e ordinários (Foto: Nêggo Tom)

Como se já não bastasse o clima de ódio e a guerra político-partidária instaurados no país, começa a vir a tona a verdade oculta contida no pensamento e na alma de alguns manifestantes anti governo. Não precisa ter muita erudição para captar e entender o que realmente incomoda uma parte da elite, e a alguns outros que acham que fazem parte dela. Quando me refiro a uma parte da elite, falo da porção fascista, racista e preconceituosa. É claro que nem todo rico é  preconceituoso e fascista. Se pensarmos assim estaremos demonizando pessoas em função da sua condição financeira, o que não é muito racional. Isso também  vale para quando falamos de racistas. Nem todo branco é racista, assim como nem todas as pessoas de boa formação são inteligentes e possuem um bom senso de humanidade e respeito ao outro. Deste modo, não podemos rotular negativamente toda uma raça ou um determinado grupo, em função dos desajustes de caráter de alguns que pertencem a eles. Também não quero que este artigo se posicione a esquerda ou a direita na visão política de quem o esteja lendo. Desejo que ele seja centrado, como deveria
ser o comportamento de ambos os lados da nossa configuração política.

Está viralizando na rede um áudio contendo um diálogo captado no camarim, entre o diretor de teatro Claudio Botelho e uma mulher, de muito bom senso por sinal, que muitos afirmam se tratar da atriz Soraya Ravenle, onde o citado diretor destila todo o seu ódio racial e de classes contra a platéia que foi assistir ao seu espetáculo "Todos os musicais de Chico Buarque",em cartaz no teatro do palácio das artes em Belo Horizonte. Num ataque raivoso e insano de non sense aguda, o diretor começou a atacar a presidenta Dilma, o ex-presidente Lula e o PT, usando até o termo 'ladra" para se referir a atual mandatária do país. A Plateia reagiu a ofensiva do diretor e se manifestou aos gritos de: "Não vai ter golpe!", e nesse clima nada amistoso o espetáculo foi interrompido com o público reivindicando de volta o dinheiro pago pelo ingresso. Não dá para entender tamanha falta de sensibilidade e sensatez vinda de um artista, de um diretor de teatro que se propõe a produzir uma peça sobre Chico Buarque, um dos artistas mais sensíveis, polidos e sensatos desse país.

Será que o diretor apenas quer faturar em cima da obra dele? Não teria sido mais coerente e alinhado com a sua posição política, ele produzir um espetáculo sobre a obra do Lobão? 
Deixando claro que sou fã do Lobão. O Artista. 

Mas a emenda que jogou de vez todo o soneto no lixo, foi o áudio vazado, onde visivelmente destemperado e possesso, Claudio Botelho diz aos berros, entre outras coisas que: "O Ator quando entra em cena é um rei, não pode ser peitado por um negro, por filho da puta que sai da plateia. Não Pode!" e ainda se referindo a plateia vocifera: "Eles são neofascistas, neonazistas, são petistas, são o que há de pior no Brasil...São bandidos" Ouça o áudio na integra: (Link do audio)

Fica claro que a indignação do diretor e de muitos outros que pensam da mesma forma, e que por sorte ainda não tiveram suas conversas por detrás das coxias divulgadas publicamente, é com a voz e com a opinião que hoje, os oprimidos de ontem, podem soltar e emitir sem ter medo de serem censurados ou colocados no seu devido "lugar" por aqueles que se julgam superiores, econômica, racial e socialmente. A manifestação odiosamente racista de Claudio Botelho, reflete o que está contido na alma podre de outros tantos, tão racistas e preconceituosos quanto ele, mas que por serem covardes e hipócritas, não têm coragem de apresentar no palco os seus conceitos fascistas e ordinários, que fariam de Hitler um mero ator coadjuvante incapaz de concorrer com eles em igualdade de condições, ao Oscar de racista mais cretino da academia dos estúpidos e ignorantes. Ou alguém ainda tem dúvidas de que um mensageiro racista é u m assassino verbal da dignidade do outro e pode sim, se tornar em um assassino físico do direito de ir e vir de quem ele julga de uma raça inferior?

Eu confesso que não me espanto mais com atitudes como a do diretor Claudio Botelho. Elas são muito mais comuns e mais cruéis do que possamos imaginar. Se tivéssemos acesso a todos os camarins dos teatros da vida real, assistiríamos a cenas piores do que essa e que nos faria querer devolver o ingresso da nossa existência e exigir o nosso direito de retornar ao pó. Como é possível um cidadão que se considera instruído ser portador de tamanha ausência de raciocínio? Como alguém que se diz indignado com a atual situação política do país e clama por justiça, pode praticar um crime contra a dignidade humana? E ainda chama os que apoiam o governo de fascistas, neonazistas e bandidos. Será que o nada estimado diretor comprou o seu diploma ou é apenas mais um playboy que pendura o diploma que possui na parede para se diferenciar dos demais? U m racista e segregador acusando os outros de fascismo e nazismo? Ao contrário daquilo que você diz no áudio, não são os petistas, nem os tucanos, nem os que são contra o impeachment, nem os que são a favor dele, o que há de pior no país. São pessoas que pensam e agem como você que fazem do mundo esse esgoto de intolerância, irracionalidade e preconceito, que exala um cheiro cada dia mais podre sempre que os habitantes da parte mais escrota do planeta puxam a descarga dos seus pensamentos mais privados. Nem preciso dizer que o senhor é um dos habitantes dessa faixa de terra. 

O Ator em cena é tão rei quanto qualquer um cidadão na sua vida real. Um Pedreiro é rei na arte de assentar o seu tijolo alinhado e no plumo para que a parede não fique torta. Um Eletricista é rei na arte das instalações elétricas, assim como um Médico é rei na arte de salvar vidas. Uma mãe é rainha na arte de dar a luz e de saber educar o seu filho para o mundo e para a convivência com as diferenças que irá encontrar nele. Um pai de família, seja ele branco ou negro, é um rei que luta diariamente para manter o sustento da sua casa e dar dignidade aos seus. Ambos têm direitos e obrigações e merecem ser tratados com respeito. Nada mais fascista do que tentar minar a auto estima de alguém usando a raça ou a condição social como quesito para a boa aceitação do indivíduo na sociedade. O qu e diria os Atores negros sobre essa declaração? Gostaria de ver as representatividades se manifestando. Esse pensamento externado pelo diretor Claudio Botelho, talvez explique o fato de atores negros ainda serem relegados a interpretação de personagens de pouca relevância na dramaturgia nacional. Teremos outros diretores de teatro e de televisão com esse mesmo pensamento? De certo que sim, mas ainda não tiveram nenhum áudio vazado.
Talvez alguns que se posicionam contra as cotas raciais tenham o mesmo pensamento e não admitem serem questionados por algum negro de competência e de personalidade. Talvez alguns que condenam os programas de inclusão social do governo também pensem o mesmo. Não deve lhes faltar vontade de mandar o negro da poltrona ao lado no avião se retirar e ir de ônibus. Ou quem sabe até lamentem a extinção dos navios negreiros. 

Não! Não passarão! Todo preconceito dever ser eliminado. Ninguém vai limitar o direito de ir e vir do outro baseado no seu paradigma distorcido de convívio social. Se alguém precisa se calar, esse alguém é o racista, o preconceituoso e o segregador. Esses sim, são neonazistas, são fascistas institucionalizados nessa sociedade de gente de bem que sai as ruas para manifestar contra a corrupção regados a água perrier e a cerveja artesanal, mas que criticam o pão com mortadela e copo de suco oferecidos aos manifestantes que estão do lado oposto. Essa é a verdadeira cara do Brasil desde de seu descobrimento. Casa grande x Senzala. É bom que os escravocratas mostrem a cara. É bom que eles desfilem pelas ruas levando as babás de seus filhos na rédea para mostrar que querem o país deles de volta. É bom que eles se posicionem contra a inclusão social e contra o mínimo de dignidade que se possa oferecer aos mais necessitados. É bom que eles se declarem racistas e favoráveis a uma eugenia social que coloque cada um no seu lugar. É bom quando os inimigos da igualdade social se revelam, assim podemos combatê-los com a arma mais letal a sua insensatez. A justiça. E que a justiça, principalmente a racial, seja feita todos os dias, não se calando diante de ofensas racistas como a do tal diretor e nem diante de nenhum outro tipo de comportamento fascista imposto contra nós no dia a dia. BASTA! Todo ser humano é um rei e como tal, tem o direito de ver garantida a inviolabilidade de seu trono. Gritem! Denunciem! Reajam! Punhos cerrados jamais serão cortados. 

Ao senhor Claudio Botelho e a todos os racistas que pensam como ele, um recado: Cala boca já morreu. Quem manda na minha boca sou eu! 

Não vai ter golpe contra a dignidade humana! Viva a resistência! 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247