Transformações digitais podem estar nos levando a uma era pós-industrial?

"A digitalização e o plataformismo são partes da reestruturação produtiva e de um processo mais radical de acumulação", escreve Roberto Moraes

www.brasil247.com -
(Foto: Divulgação)


Por Roberto Moraes 

Penso que necessitamos conhecer mais a fundo a atual transformação do que seria para alguns autores, a passagem de uma era industrial, para uma época de hegemonia digital no capitalismo contemporâneo, que se apoia num tripé dividido ainda com a financeirização e o neoliberalismo.

A digitalização e o plataformismo são partes da reestruturação produtiva e de um processo mais radical de acumulação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mais que uma infraestrutura que articula o virtual da plataforma digital e o real da logística de entrega das mercadorias, a plataformização realiza o que nem Taylor e Ford, juntos, jamais sequer imaginaram ser possível, como mecanismo de controle sobre tempos e movimentos e aumento da produtividade sobre o trabalhador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vivemos uma "quase revolução da etapa de circulação" que amplia a velocidade da "mais-valia" e da captura do valor sobre todos os setores da vida em sociedade. Como meio de circulação, as Plataformas Digitais aproximam as distâncias e assim diminuem o tempo desse processo, com o uso da infraestrutura de logística, através da qual se romperá a barreira da distância. 

Vale destacar que a transformação de um produto em mercadoria só se completa, na forma de mercadoria, quando é vendido. Em estoque é apenas uma mercadoria em potencial. É nesse ponto que se deve entender a ligação que o varejo do e-commerce faz entre o intangível das relações e dos negócios digitais com o mundo tangível da infraestrutura

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Há muito a ser investigado. Ainda é muito pouco percebido aquilo que vem ocorrendo com a digitalização do trabalho, com o trabalhador algoritmizado que é controlado full time para além de sua jornada de trabalho, seja na indústria, agricultura, nos serviços e/ou também nas centenas de centros de distribuição (CDs) das players do e-commerce.

A simbiose entre o virtual digital e o real do trabalho, na fábrica, hospitais, comércio, escolas e universidades, nos CDs e na casa do trabalhador online é um tema que pode ajudar a compreender as transformações contemporâneas do capitalismo em diferentes espaços.

Em 2020, eu elaborei um texto (ensaio-relatório) da investigação empírica sobre os agentes, o processo e as estratégias dos players que atuavam no e-commerce no Brasil. (Link nas referências) [1]

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porém, o tema que hoje, mais me atrai, é uma análise mais totalizante sobre as transformações dessa era pós-industrial que parecem estruturais e vinculadas ao capitalismo e à globalização. 

Diante disso cabe a pergunta: este processo se trata apenas de mudanças decorrentes de nova etapa da reestruturação produtiva ou a superação estrutural da sociedade industrial, que há dois séculos foi definindo por um modo de produção e organização da sociedade e do espaço?  

Na relação entre a dimensão econômica e geopolítica, parece que vivemos uma encruzilhada. O capitalismo é por sua natureza expansiva e isso redundou na globalização, que com a Pandemia, guerra EUA-OTAN x Rússia está se deparando com freios, que alguns mais apressados passaram a chamar de desglobalização e outros de tendência de globalização regional.

As mudanças com a fase de digitalização mais financeirização são profundas e aceleradas.

Possivelmente, tão importantes, intensas e de ciclo longo, quanto a que o mundo assistiu com a Revolução Industrial (RI).

Sim, pode ser que isso seja, um exagero, mas também, pode ser que não. Por tudo isso, há muito a ser investigado, muita teoria a ser revisitada e atualizada e muita pesquisa e conhecimento a ser compartilhado sobre as mudanças já em curso.

Referência:

[1] PESSANHA, Roberto Moraes. Disputa no e-commerce de varejo no Brasil: entre o intangível do digital e a materialidade da logística. Disponível em: https://www.comciencia.br/disputa-no-e-commerce-de-varejo-no-brasil-entre-o-intangivel-do-digital-e-a-materialidade-da-infraestrutura-de-logistica/?fbclid=IwAR21dlT9-4kFWa1WhwB7IGp6Qkk7CMra00Svu82PiUqAPxjz15CyhRHJH4Q#more-6804

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email