Três gols de mão a zero

Victor Laus, o terceiro desembargador, começou elogiando a Lava Jato e chamou Sérgio Moro de brilhante. Definiu-o com três palavras: Talento, coragem, interesse. "Decisões judiciais têm que ser fundamentadas". Laus julgou não o caso do triplex, mas o mandato de Lula: "Sua Excelência em certo momento perdeu o rumo"

Victor Laus, o terceiro desembargador, começou elogiando a Lava Jato e chamou Sérgio Moro de brilhante. Definiu-o com três palavras: Talento, coragem, interesse. "Decisões judiciais têm que ser fundamentadas". Laus julgou não o caso do triplex, mas o mandato de Lula: "Sua Excelência em certo momento perdeu o rumo"
Victor Laus, o terceiro desembargador, começou elogiando a Lava Jato e chamou Sérgio Moro de brilhante. Definiu-o com três palavras: Talento, coragem, interesse. "Decisões judiciais têm que ser fundamentadas". Laus julgou não o caso do triplex, mas o mandato de Lula: "Sua Excelência em certo momento perdeu o rumo" (Foto: Alex Solnik)

Victor Laus, o terceiro desembargador, começou elogiando a Lava Jato e chamou Sérgio Moro de brilhante. Definiu-o com três palavras: Talento, coragem, interesse.

"Decisões judiciais têm que ser fundamentadas", ponderou dando a entender que poderia discordar dos seus colegas que condenaram Lula sem provas de que ele recebeu um triplex da OAS.

"A nós interessa o fato", disse ele também.

"Não julgamos pessoas, julgamos os fatos".

"Temos que dizer quais são as provas".

Tal como seus colegas, Laus disse que palavra de co-reus vale para justificar a validade do que Léo Pinheiro delatou sem apresentar provas.

"O réu se defende da acusação, como disse Cristiano Zanin eu tenho que saber do que me acusam para poder me defender. O que, quando, como".

"Quem acusa tem que provar, não quem é acusado".

Laus julgou não o caso do triplex, mas o mandato de Lula:

"Sua Excelência em certo momento perdeu o rumo".

"Deveria ter tomado providências e não tomou".

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247