Trump, a Geopolítica americana na AL, o Capital e a Trama iniciada no Mensalão

Os novos fatos gerados pelo presidente americano, Donald Trump, voltados para interferência e controle ideológico em Países da América Latina, especialmente o Brasil - muito além de Cuba e Venezuela -, acabam se traduzindo em nova etapa iniciada em solo brasileiro a partir do Mensalão, em 2005, cujo objetivo era implodir a linha Socialista do Brasil e primeiro alvo alcançado era eliminar a ascensão do ex-Ministro José Dirceu

***FOTO EMBARGADA PARA VEÍCULOS DE RS E SC*** PORTO ALEGRE, RS. 15.12.2012: PT/DIRCEU - O ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu partcipou de evento do Partido dos Trabalhadores na manhã deste sábado no salão da igreja Pompeia, em Porto Alegre. Ovaci
***FOTO EMBARGADA PARA VEÍCULOS DE RS E SC*** PORTO ALEGRE, RS. 15.12.2012: PT/DIRCEU - O ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu partcipou de evento do Partido dos Trabalhadores na manhã deste sábado no salão da igreja Pompeia, em Porto Alegre. Ovaci (Foto: Walter Santos)

Os novos fatos gerados pelo presidente americano, Donald Trump, voltados para interferência e controle ideológico em Países da América Latina, especialmente o Brasil - muito além de Cuba e Venezuela -, acabam se traduzindo em nova etapa iniciada em solo brasileiro a partir do Mensalão, em 2005, cujo objetivo era implodir a linha Socialista do Brasil e primeiro alvo alcançado era eliminar a ascensão do ex-Ministro José Dirceu,  à época nome mais forte na sucessão de Lula na presidência da República.

Ninguém se iluda: a " inteligência e vigilância " ideológica no sentido de implodir a ascensão do Socialismo na América Latina com uso interno de setores da Elite,  Justiça, Ministério Público , PF orquestrados pela imposição discursiva dos Meios de Comunicação - no Brasil via Rede Globo - nunca estiveram tão atentos e em ação do que nos últimos anos em face da liderança do Brasil em todo Continente desde a ascensão de Lula.

A ALCA, LULA E A POSIÇÃO DO BRASIL

É preciso observar e atestar a influência recente da Casa Branca nos Países da América do Sul com a articulação no início dos anos 2000, do Governo Clinton, para a criação da ALCA - Mercado Comum na América Latina envolvendo até o México com apoio aberto do Governo neo - liberal de FHC.

Até 2002, este era o foco americano para manter o controle dos negócios econômicos na América Latina.

Só que, a partir de 2003, a "nova ordem" econômica e geopolítica exercida pelo Brasil com a ascensão do presidente Lula mudou completamente o rumo das politicas do Governo Brasileiro optando na prática pelo fortalecimento do MERCOSUL, portanto , implodindo de vez a pretendida a ALCA.

Lula fez mais: não rompeu as relações com o Governo americano, nem os negócios de mercado, mas abriu pela primeira vez a expansão de relações e negócios com a China, Rússia, Índia e África do Sul criando nova Potência de negócios a irritar o Capital internacional.

Os BRICS - países emergentes - foram o maior insulto às pretensões ideológicas e de negócios do Capital.

ZÉ DIRCEU, O ALVO "PERIGOSO" ABATIDO

Ninguém duvida da liderança de Lula no Mundo, desde quando de sua ascensão ao Poder no Brasil, em 2003, hoje na condição de maior liderança de Esquerda da América do Sul, mas é nesta fase de aplicação de Políticas Sociais relevantes a mudar o rumo econômico e de vida de milhões de brasileiros com a liderança do Brasil na América do Sul que, silenciosamente, começa o confronto do Capital para derrubar o Governo socialista brasileiro.

Depois de Lula, era o ex-Ministro da Casa Civil, José Dirceu, o grande alvo porque a possibilidade de ascensão no Poder do Brasil se traduzia em enorme ameaça ao poderia Neo-liberal comandado pelos EUA.

Mais do que Lula, Zé Dirceu especializara-se nas relações com as principais lideranças nos Países da América Latina e, pela capacidade de articulação e de domínio da geopolítica mais aguçada, certamente avançaria muito mais do que Dilma Rousseff, na influência do Brasil nos BRICS e fora dele.

Zé Dirceu foi a primeira experiência do denominado LAWFARE - uso político direcionado contra alguém com as ferramentas jurídicas vigentes -, porque como provam os Autos do Mensalão foi condenado e assim perdido as condições de elegibilidade sem uma UNICA prova contra ele.

O então procurador Geral da República, Roberto Gurgel, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, e outros ministros como a Rosa Werber, declararam em seus votos inexistir PROVAS concretas contra Zé Dirceu, mesmo assim o condenavam sob argumento maluco do Direito de Fato atribuindo a ele conhecimento e comando do que não se provara.

Na prática, Zé Dirceu foi a primeira grande vítima do Capital internacional com conivência do governo americano.

Danado é observar que FHC e todo o PSDB se prestaram a conduzir as estratégias de enfrentamento político contra Lula é o PT bancados pelo capital internacional em sintonia com os EUA.

A não aceitação por Aécio Neves das eleições em 2014 diante da reeleição de Dilma Rousseff foi a senha inicial para o que vivemos hoje no bizarro Governo Temer.

Voltaremos ao tema.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247