Trump, Teori, textão

A ditadura democrática elegeu o bilionário que com 3 dias no poder já cortou relações com o "livre comércio" em alguns países.. e isso é só o começo – segundo ele

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostra a ordem que formaliza a saída do acordo Transpacífico após assiná-la na Casa Branca, em Washington 23/01/2017 REUTERS/Kevin Lamarque
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostra a ordem que formaliza a saída do acordo Transpacífico após assiná-la na Casa Branca, em Washington 23/01/2017 REUTERS/Kevin Lamarque (Foto: Geovanne Soares)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O discurso de ódio subiu ao poder. Temos agora o cargo mais poderoso do planeta na mão de alguém que recebeu uma singela doação do pai de 1 Milhão de Dólares. Meritocracia existe sim, claro! Agora vemos nos jornais e nas mídias a tentativa de deixar Donald Trump menos amável do que nunca foi.

A ditadura democrática elegeu o bilionário que com 3 dias no poder já cortou relações com o "livre comércio" em alguns países.. e isso é só o começo – segundo ele. Tenho medo desse lema: "daremos prioridade aos americanos!" (leia-se americanos como - pessoa que nasceu nos EUA- ). Me da medo o fato de que ele afeta diretamente, querendo ou não, a política e a economia de outros países.

Enquanto isso, na nossa bolha paradisíaca amazônica, as conspirações contra a morte de Teori aumentam cada dia mais. Até quem duvidava das delações ou da própria investigação realizada pela polícia federal. Não digo que isso é tão ruim, porque faz com que as pessoas tenham mais "visão" pras coisas.

Se tem algo de bom com o advento da internet é a informação, sendo espalhada, mesmo que de maneira desconfiável, pra todos os cantos. Isso faz com que as pessoas falem e falem e fale de novo. Até quem nunca acreditou em uma operação pode dizer: "Acho que ele foi assassinado. Acho que foi queima de arquivo. Parece com o caso do Ulysses Guimarães."

Só tenho certeza de uma coisa nisso tudo, a seletividade no mundo é cada vez mais forte. Nos importamos com tanta coisa e ao mesmo tempo não nos importamos com nada. Nada de relevante. É só notícia de tragédia e outra notícia ali de esportes. Aí vem a política, esportes, tragédia. Não paramos pra fazer nada. Apenas receber as informações.

A internet trouxe a informação, mas não trouxe a análise. Ou melhor, trouxe a análise da grande mídia, dos grandes meios de comunicação. Forma-se, assim, uma bolha que incha de informações com análises únicas e rasas. Mas e a prática? E a mudança? E a análise própria? Ainda não inventamos uma tecnologia capaz de fazer as pessoas pensarem assim. (Tudo o que eu falei, pode estar errado) E essa é a graça da análise.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email