Ultraliberalismo é a confirmação do genocídio social na Argentina

Capitalizar estruturas fundamentais de subsistência vão ajudar a formar mais miseráveis num extremo e bilionários em outro extremo

O presidente eleito da Argentina, Javier Milei 20/11/2023
O presidente eleito da Argentina, Javier Milei 20/11/2023 (Foto: Julián Álvarez/Telam)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

O ultimo fim de semana foi emblemática para os liberais, Javier Milei é o novo presidente da Argentina. Corroído pelo neoliberalismo, Milei, um ultraliberal radicalizado por pautas que vão desde a implantação de um estado mínimo com cortes de diversas empresas estatais, o famigerado "enxugar a máquina" até as pautas de segurança pública.  

Associado a extrema direita, Milei fez um discurso atacando o presidente Lula e a China, por sua vez, em campanha eleitoral para o futuro chefe de estado da casa rosada. Já começando com um famoso ditado, "dando tiro contra os próprios pés".  

continua após o anúncio

Argentina e China são os maiores parceiros econômicos. A narrativa falaciosa "anti comunismo" na desconstrução dos reais problemas da Argentina só demonstram um futuro tenebroso para os "hermanos". 

Se justiça social e o pseudo comunismo são os maiores problemas de um país com milhões de pobres e miseráveis, o capitalismo via liberalismo seria a esperança? Uma pergunta retórica e de desconstrução de pensamento e realidade.  

continua após o anúncio

Não se enganem! Capitalizar estruturas fundamentais de subsistência vão ajudar a formar mais miseráveis num extremo e bilionários em outro extremo. Saúde, educação vendidas a preço de ouro para uma população descamisada, marginalizada.  

Aos opositores dos kirchners, a sensação de dever cumprido, segregar, massacrar pobres ao estilo Pinochet: um país militarizado pelo medo e de joelhos para o imperialismo, na mais acovardada servidão. 

continua após o anúncio

A pergunta que acende e acalora a discussão: a corrosão econômica provocada pelo mesmo liberalismo chegará a barbárie do capitalismo em que a escravidão moderna serão os únicos caminhos diante um estado inexistente entregue ao mercado financeiro? Ao meu ver, os argentinos perderam uma chance única de fortalecer uma frente ampla, democrática, progressista.  

O atual cenário é só um recorte da polarização política que existe ao redor do globo: a glamourização de uma utopia chamada liberalismo. De um lado, os democratas sonhadores. Do outro, abutres fazendo de carniças verdadeiros banquetes. 

continua após o anúncio

Enquanto houver migalhas haverá pombos. Nesse caso, até as migalhas serão o fruto mais raro no deserto, numa imensidão de pobreza... 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247