Uma amizade sino-brasileira que se fortalece com o tempo

No dia 15 de agosto, as relações diplomáticas entre China e Brasil celebram seu 48º aniversário. A confiança política China-Brasil é cada vez mais sólida

www.brasil247.com - Brasil e China; bandeiras
Brasil e China; bandeiras (Foto: Agência Brasil)


Por Jin Hongjun

No dia 15 de agosto deste ano, as relações diplomáticas entre a China e o Brasil celebram seu 48º aniversário. Nestes 48 anos, os dois países empreenderam esforços conjuntos para fazer avançar o relacionamento bilateral, tornando-o um dos mais importantes e dinâmicos entre mercados emergentes de duas nações em desenvolvimento.

A confiança política China-Brasil é cada vez mais sólida. Apesar das mudanças nas circunstâncias internas e externas de cada país, o relacionamento sino-brasileiro supera as diferenças ideológicas e vem crescendo ao longo dos anos. Os intercâmbios são frequentes entre governos, autoridades locais, parlamento e partidos políticos, fortalecendo a compreensão e apoio mútuo em questões de interesse central e grande relevância. A 6ª reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN) realizada este ano, que contou com a participação de representantes de uma dezena de ministérios e agências governamentais dos dois países a cargo de assuntos como relações exteriores, economia, ciência e tecnologia, agricultura, saúde e cultura, aprovou o plano executivo quinquenal e o plano estratégico decenal para nortear o desenvolvimento da cooperação China-Brasil a médio e longo prazo.

A cooperação pragmática China-Brasil apresenta maior vigor. Diante do complexo e volátil cenário da economia mundial, China e Brasil se baseiam em vantagens complementares e benefícios recíprocos em busca de soluções conjuntas para os desafios. Maior parceiro comercial do Brasil por 13 anos consecutivos, a China é responsável por mais da metade do superávit comercial brasileiro. Esse comércio continua crescendo apesar dos impactos da pandemia, demonstrando forte tração e enorme potencial. A China também permanece como um dos principais investidores no Brasil. Os investimentos chineses estão migrando de setores tradicionais, como energia, infraestrutura e agricultura, para novas fronteiras de alta e nova tecnologia, economia digital e economia verde, dando grande impulso ao desenvolvimento econômico e bem-estar social dos dois países.

A amizade China-Brasil torna-se cada vez mais robusta. Nos últimos anos, com a diversificação e o aumento do intercâmbio e cooperação em cultura, educação, ciência e tecnologia, academia, esportes e turismo, os dois países vêm construindo uma sólida base da opinião pública para o desenvolvimento das relações bilaterais e fazendo contribuições positivas para o aprendizado mútuo entre diferentes culturas. Essa amizade intensificou-se ainda mais durante a pandemia com as ações solidárias e as cooperações no combate à COVID e na pesquisa e produção de vacinas.

A cooperação China-Brasil em fóruns multilaterais teve excelentes resultados. Os dois países, ambos potências emergentes, mantêm comunicação e concertação em fóruns multilaterais, como as Nações Unidas, o BRICS e o G20, sobre temas de mudança climática, direitos humanos, enfrentamento da pandemia, desenvolvimento sustentável e outros, contribuindo de forma positiva para salvaguardar os interesses gerais dos países em desenvolvimento e promover uma ordem internacional mais justa, equitativa e razoável. 

"O verdadeiro amigo estará sempre contigo", escreveu a pequena poetisa Clarice Pacheco. Com a profunda reestruturação da conjuntura internacional e a complexa sobreposição de múltiplos desafios, as relações sino-brasileiras assumem um significado global mais estratégico e a parceria bilateral revela-se ainda mais necessária e relevante. A China valoriza a amizade bilateral construída ao longo de várias gerações e zela por seu relacionamento com o Brasil, que considera numa perspectiva estratégica e de longo prazo. Junto com todos os setores da sociedade brasileira, vamos fortalecer a nossa confiança mútua, ampliar a nossa cooperação, enfrentar os desafios e abrir um futuro mais promissor. 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email