Vendilhões do poder público

O Brasil está de pernas para o ar, há um reinado de artimanhas ocupando púlpitos em templos repletos de vendilhões

www.brasil247.com -
(Foto: Alan Santos/PR)


É nauseante perceber que a espécie humana aparenta estar em processo de putrefação.

A palavra de ordem é “cinismo”; cinismo que está se espraiando em meio à campanha de segundo turno das  eleições 2022. Mulheres idólatras se unindo em torno de bezerros de ouro...e acusando o candidato do PT com impropérios em cultos evangélicos. Quem está com sangue nos olhos? 

O desrespeito ao povo brasileiro  vai desde a existência macabra de um orçamento secreto (sangrento) até a instalação de uma Reforma, que deforma seus funcionários públicos; com a possível e imoral perda da ESTABILIDADE, num ato ejaculatório nos direitos básicos desta classe imprescindível, ao bom funcionamento da tradicional máquina pública. Parece mesmo um filme de terror, com direito a esquartejamento do poder público

O Brasil está de pernas para o ar, há um reinado de artimanhas ocupando púlpitos em templos repletos de vendilhões.

Há intimidações de eleitores, através da lógica do voto de cabresto: que chega ao ponto de dar justa causa a quem não quiser nadar como “dois patinhos na lagoa”. 

 Senadoras eleitas enfatizam que episódios oníricos são realidade, e transformam devaneios em pregação. No entanto, a obscenidade assaz pecaminosa e comprovada é a desigualdade e a fome.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247