Viver sem esperança: povo brasileiro só espera dias piores com Temer

"Um dado pouco destacado da pesquisa CNI-Ibope, que revelou a continuada queda de popularidade de Michel Temer, aprovado por apenas 3% dos entrevistados,  foi o que apontou a completa desesperança do povo brasileiro no tempo que resta de seu mandato, se ele escapar da segunda denúncia na Câmara.  Para 72%, o governo deve ter desempenho ruim e péssimo nos 15 meses que lhe restam de mandato", diz a colunista Tereza Cruvinel; "Ainda que Temer fosse capaz de produzir um milagre econômico nos próximos meses, não se levantaria do chão. É caso perdido. Menos para os deputados que devem negar licença para que seja processado e afastado do cargo"

www.brasil247.com - Presidente Michel Temer durante evento em Brasília 22/08/2017 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Michel Temer durante evento em Brasília 22/08/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Tereza Cruvinel)


Um dado pouco destacado da pesquisa CNI-Ibope, que revelou a continuada queda de popularidade de Michel Temer, aprovado por apenas 3% dos entrevistados,  foi o que apontou a completa desesperança do povo brasileiro no tempo que resta de seu mandato, se ele escapar da segunda denúncia na Câmara.  Para 72%, o governo deve ter desempenho ruim e péssimo nos 15 meses que lhe restam de mandato.  Em junho de 2016, logo depois de sua posse,  este índice era de 32%. Mais que dobrou de lá para cá, agregando os desiludidos com o golpe ou que esperavam alguma melhora com a derrubada de Dilma e sua troca por Temer.

Já os que esperavam um desempenho ótimo e bom eram 24% em junho do ano passado, e agora são apenas 6%.  Os que apostavam em algo regular eram 32% e hoje são apenas 17%..

Não esperar por dias melhores no médio prazo é uma das condições mais deprimentes para o ser humano.  Saber que nos próximos 15 meses nada pode melhorar é desolador.   Por isso na medida em que Temer afunda,  crescem as intenções de voto no ex-presidente Lula, que representa a volta da esperança em dias melhores, com base na experiência de seus governos, que trouxeram crescimento, emprego e distribuição de renda.  Mas mesmo esta esperança para o tempo que começaria em janeiro de 2019 é corroída pela incerteza quanto à sua candidatura, por conta da cruzada judicial para impedir seu eventual retorno.

A pesquisa CNI-IBOPE mostrou também que Temer é um caso definitivamente perdido para a população,  tão consolidada está a percepção de que seu governo, além de ilegítimo, é corrupto e anti-povo.  A pesquisa foi realizada enquanto o governo faturava sinais de uma leve contenção da recessão e do desemprego, a queda dos juros e a injeção de  R$ 44 bilhões na econômica com a liberação das contas inativas do FGTS. Agora os saques do  Pis-Pasep por pessoas com mais de 60 anos (antes só podia ser sacado aos 65)  injetará outros R$ 60 bilhões, segundo o governo, mas isso não fará diferença na avaliação de Temer.  O julgamento de seu governo já se descolou da economia e tornou-se uma questão moral para os brasileiros. O que desaprovam no governo Temer é sua natureza bandida e quadrilheira, é a sofreguidão com que foi ao pote, em busca de negócios,  cortando gastos públicos necessários e entregando as riquezas nacionais  para saciar o capital financeiro. Ainda que Temer fosse capaz de produzir um milagre econômico nos próximos meses, não se levantaria do chão. É caso perdido. Menos para os deputados que devem negar licença para que seja processado e afastado do cargo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

         

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email