Zé Dirceu não deve se entregar para ser preso

Zé Dirceu não deve se entregar para ser preso e cumprir a prisão. Ele deve buscar o quanto antes uma embaixada e pedir asilo como perseguido político. De lá, ou em caso de deportação, deve comandar a resistência contra o golpe

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu após assinar na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal o termo que autoriza a cumprir prisão no regime aberto (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu após assinar na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal o termo que autoriza a cumprir prisão no regime aberto (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Dimas Roque)

Em caso de nova decretação de prisão contra o Petista e ex-ministro Zé Dirceu, a militância manda avisar que é contra a sua apresentação para cumprir a pena.

Não se sabe ao certo que teria convencido ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva a se entregar à polícia federal naquele 07 de abril de 2018, ou se foi decisão do próprio. Seja lá de quem tenha sido, foi um erro. A hora é de resistência contra o Golpe que tomou o Brasil e não parece ter boa vontade de que as regras jurídicas retornem tão logo ao país.

De dentro da cadeia Lula manda cartaz. Mas nós precisamos de lideranças que mobilizem o povo a ir às ruas para protestar. Nós precisamos de sindicalistas que anunciem greve geral e não de um dia que mais parece feriado. Nós precisamos de alguém, que mesmo descumprindo uma ordem judicial de prisão, se torne a figura central do movimento de rebeldia que está nos fazendo falta.

Zé Dirceu não deve se entregar para ser preso e cumprir a prisão. Ele deve buscar o quanto antes uma embaixada e pedir asilo como perseguido político. De lá, ou em caso de deportação, deve comandar a resistência contra o golpe. Preso, ele não terá a força que tem hoje junto a militância. Não vamos nos enganar com essa história de que um dia ou outro, a justiça será feita e todas as falsas acusações vão ser retiradas, e Zé Dirceu, e Lula vão sair pela porta da frente da cadeia. Isso não vai acontecer. O golpe é para lhes anular politicamente, é para destruir o Partido dos Trabalhadores, é para colocar a pobreza em seu "devido lugar", de onde não deveriam ter saído nunca. É assim que a pequena elite brasileira pensa.

"Se fosse na Argentina haveria um terremoto social". Quando o Prémio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, fez essa declaração, me veio à mente o que os meios de comunicação estão fazendo com a prisão do Lula. Ao retirar o ex-presidente das pautas diárias, eles trabalham articulados para desmobilizar a militância de esquerda que estão indo as ruas pedir a liberdade do preso político Luís Inácio. Se milhões e milhões não foram ainda as ruas exigir que ele seja solto, o que pode acontecer com o passar dos meses e a intransigência do STF – Superior Tribunal Federal, que se nega votar a ADIN – Ação Direta de Inconstitucionalidade? Essa ação poderá revisar o entendimento da corte.

Por isso digo, a resistência pode ser feita de fora da prisão. Entregar-se será mais um erro cometido, se somando ao de Lula que deveria ter resistido no Sindicato dos metalúrgicos e denunciado ao mundo, através de imagens e declarações, o que está acontecendo aqui no Brasil. A luta é o caminho para a mobilização, é a alternativa a ser buscada. Zé Dirceu livre é o ponto de luz nessa escuridão política e jurídica que se tornou o Brasil.

Eu fico com a fala do Dirceu, "Ninguém vai nos calar. Ninguém nos calará. Nós vamos lutar. Eu luto em quaisquer condições. Para isso eu sobrevivi. Minha voz e minha escrita vai continuar lutando". Mas o eu quero ele em liberdade para mobilizar a resistência contra o golpe.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Palocci é o delator coringa

Bastou a coisa apertar para o lado da Lava Jato que o Ministério Público Federal coloca Antonio Palocci no pau-de-arara e vaza alguma delação bombástica para O Globo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247