“A Argentina mostra o caminho”, diz Mercadante, sobre taxação de fortunas

O ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante sugeriu que o governo Alberto Fernández dá um exemplo ao Brasil em colocar em debate a taxação de grandes fortunas para o enfrentamento da crise fiscal. "A Argentina mostra o caminho", disse ele em entrevista concedida à TV 247. "Como as economias se recuperam no pós-guerra? Tributando as famílias muito ricas", comparou

Mercadante e  Alberto Fernandez
Mercadante e Alberto Fernandez (Foto: Ricardo Stuckert | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante avaliou que a Argentina dá exemplo ao Brasil em colocar em debate a taxação de grandes fortunas para o enfrentamento da crise fiscal. É uma "medida indispensável", de acordo com o ex-titular da pasta. "A Argentina mostra o caminho", disse ele em entrevista concedida à TV 247.

"Já defendi que o único caminho para enfrentarmos a crise fiscal é taxar os ricos. A Argentina vive uma situação econômica delicada, o neoliberalismo de (Mauricio) Macri foi uma tragédia. O único setor que pode contribuir para o enfrentamento da crise é quem nunca contribuiu", afirmou.

O ex-ministro também alertou para eventuais tentativas de fuga de investidores, caso a taxação de grandes fortunas passe a vigorar no Brasil. Segundo ele, economistas internacionais discutem a implementação de uma "carga tributária mínima de 25% para todos os países, para acabar com os paraísos fiscais". 

"Outra proposta é criar uma central mundial da riqueza financeira, um único arquivo para saber exatamente o que é de quem. Desse jeito, os bilionários não poderiam ocultar suas fortunas nem fugir para paraísos fiscais para não recolher impostos", disse.

Em sua análise, Mercadante destacou o crescimento de países após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). "Como as economias se recuperam no pós-guerra? Tributando as famílias muito ricas", reforçou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247