A fome ronda os lares das famílias brasileiras, que são obrigadas a mudar hábitos para manter alimentação básica

Com a carestia disparando, trabalhadores diminuem o consumo de alimentos, principalmente das carnes

A carne se tornou alimento proibitivo na mesa dos trabalhadores
A carne se tornou alimento proibitivo na mesa dos trabalhadores (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - As famílias brasileiras vivem um dilema para garantir a alimentação em um momento de inflação alta, que eleva preços dos alimentos básicos.

A inflação dos alimentos e os constantes aumentos da conta de luz e do botijão de gás obrigam as famílias de renda média e baixa a comprar menos produtos, deixando de lado, principalmente, a carne bovina, aponta reportagem do jornal Agora.

Considerado uma alternativa à carne vermelha, o frango também registrou alta de preços nos supermercados de São Paulo neste ano. De acordo com levantamento da Apas (Associação Paulista de Supermercados), o valor da ave acumula acréscimo de 21,42% entre janeiro e agosto de 2021.

PUBLICIDADE

A média do preço da carne bovina subiu 6,19%, porém, essa alta é mais expressiva em alguns cortes, como no caso do acém, que teve aumento de 17,90%. Nos últimos 12 meses, o mesmo corte subiu 36%.

O consumidor sente a alta de preços também nos demais alimentos. Algumas marcas já vêm disponibilizando linhas econômicas, entre elas, feijão com grãos quebrados, sem identificação de tipo, com valor menor do que o comum.

PUBLICIDADE

Leia a íntegra

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email