A guerra continua. PSL abre nesta terça processo contra Eduardo Bolsonaro e mais 18 deputados

A guerra interna continua nas fileiras do PSL e entre a direção deste e o clã Bolsonaro. Nesta terça-feira, o Diretório Nacional da sigla vai eleger os membros do Conselho de Ética do partido para começar a tramitar o processo interno por infração disciplinar contra 19 parlamentares bolsonaristas

247 - Nesta terça-feira (22), desenrola-se mais um episódio da guerra interna no PSL, com a abertura de processo disciplinar contra o deputado Eduardo Bolsonaro e mais 18 deputados. 

Segundo reportagem do jornal O Globo, entre os alvos do processo estão o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), e o líder do governo, Vitor Hugo (GO). As penalidades vão de advertência à expulsão. 

O processo disciplinar contra os parlamentares bolsonaristas do PSL é mais um lance da disputa interna de poder com o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar (PE), depois de uma nova batalha de listas para o cargo de líder. 

Num intervalo de seis horas, três documentos foram protocolados na segunda-feira na Mesa Diretora, alçando à liderança o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), que tratou de destituir os 12 vice-líderes da sigla, a maioria ligada ao presidente do partido, Luciano Bivar, informa a reportagem.  

A guerra no PSL está diretamente ligada a uma disputa pelos milionários fundos partidário e eleitoral do partido.   

Além de Eduardo Bolsonaro - cujo assessor se recusou a receber a notificação do partido - e Vitor Hugo, serão alvos de processos no conselho de ética do partido: Alê Silva (MG), Bia Kicis (DF), Bibo Nunes (RS), Carla Zambelli (SP), Carlos Jordy (RJ), Chris Tonietto (RJ), Coronel Armando (SC), Daniel Silveira (RJ), Luiz Ovando (MS), Filipe Barros (PR), General Girão (RN), Guiga Peixoto (SP), Helio Lopes (RJ), Junio Amaral (MG), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP), Marcio Labre (RJ) e Sanderson (RS).

Ao vivo na TV 247 Youtube 247