À Justiça, Inep afirma que data marcada para o Enem "é perfeitamente possível e segura para todos"

Pelas redes sociais, estudantes pedem o adiamento da prova em razão da pandemia de Covid-19 e do risco que correm ao deixarem suas casa para a realização do Enem

Enem deste ano terá 30 minutos a mais para provas de exatas.
Enem deste ano terá 30 minutos a mais para provas de exatas. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio da Advocacia Geral da União, informou à Justiça Federal que realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 17 e 24 de janeiro, apesar da pandemia, 'é perfeitamente possível e seguro para todos os envolvidos, não havendo riscos de ordem sanitária'.

O órgão alega que houve durante a preparação para a prova de 2021 "um esforço institucional redobrado na adoção e implementação efetiva de todas as medidas de segurança previstas na legislação quanto à prevenção e combate da covid-19", tal como o uso de máscara, distanciamento social, reorganização da quantidade de pessoas em sala, higienização e uso de álcool gel.

Nesta segunda-feira (11) o termo "Adiem o Enem" ficou entre os mais comentados no Twitter do Brasil, refletindo o desejo de diversos estudantes brasileiros pelo adiamento da prova.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email