“A maioria dos gays vota em mim”, diz Bolsonaro

Em entrevista no programa da apresentadora Mariana Godoy, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) delira e diz que "a maioria dos gays é simpática a ele e, inclusive votaria nele numa disputa eleitoral"; Bolsonaro admitiu ter falado que "gays deveriam apanhar dos pais em casa" e se mostrou arrependido da frase: "Se eu pudesse voltar a trás, não diria isso de novo"

Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) (Foto: Charles Nisz)

247 - Em entrevista no programa da apresentadora Mariana Godoy, da Rede TV, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) disse que a maioria dos homossexuais votaria nele no pleito de 2018. Na entrevista, Bolsonaro cita a polêmica envolvendo a cura gay e diz que o Conselho Federal de Psicologia interfere no trabalho dos psicólogos ao proibir os profissionais que queiram atender uma pessoa que queira deixar de ser homossexual: "Isso é uma falácia do CFP, uma maneira de interferir no trabalho dos psicólogos", disse o deputado federal.

Bolsonaro reafirmou ser contrário ao ensino de temas ligados à sexualidade em idade escolar. Questionado por Mariana Godoy sobre se é adequado que crianças tenham aulas dizendo que é normal ter famílias com dois pais ou duas mães, o deputado mostrou contrariedade: "Isso deve ser explicado às crianças em casa e não na escola. Nossas crianças do nono ano escolar não sabem tabuada", disse Bolsonaro, mostrando uma visão utilitarista da escola e da educação.

Bolsonaro admitiu ter falado que "gays deveriam apanhar dos pais em casa". "Naquela polêmica sobre o kit gay, teve muita bala perdida, muita coisa dita de cabeça quente e eu me excedi. Se eu pudesse voltar atrás, não diria isso de novo", afirmou o parlamentar. Bolsonaro tentou remendar o que disse, falando que "muitos gays são simpáticos a ele e inclusive, a maioria deles votaria nele numa eleição".

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247