CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Acordo sobre PEC das Igrejas depende de reunião entre equipe econômica e lideranças religiosas

Governo de Lula busca entendimento com bancada evangélica e dirigentes de igrejas antes da votação

(Foto: Reprodução)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enfrenta um impasse crucial com a PEC das Igrejas, que visa ampliar a imunidade tributária das instituições religiosas. Inicialmente prevista para votação na próxima semana, a tramitação da proposta sofreu um revés de última hora devido a discordâncias entre a bancada evangélica e os próprios dirigentes das igrejas, que exigem participação direta nas negociações, destaca o jornalista Valdo Cruz, em seu blog no G1.

“Os dirigentes evangélicos avaliam que o texto está limitando demais o que pode ser isento. Dizem que não é sobre aumentar o valor da isenção, mas sobre a forma a proposta texto está sendo montada para garantir a medida”, destaca a reportagem.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Ainda de acordo com a reportagem, diante do impasse a votação da PEC foi adiada para após o feriado da Páscoa, enquanto o governo busca uma reconciliação entre as partes envolvidas. Ministros como Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, e Jorge Messias, da Advocacia Geral da União (AGU), já se reuniram com a bancada evangélica para ouvir suas demandas, mas agora é necessário incluir os dirigentes religiosos nas discussões.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO