Acusados de assassinato na USP podem ter prisão preventiva

Justia tem at trs dias para negar o pedido, que envolve os dois suspeitos de matar o estudante Felipe Ramos Paiva; entre eles, est o confesso Irlan Graciano Santiago (foto)

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A polícia pediu a prisão preventiva dos dois suspeitos de assassinar o estudante da Universidade de São Paulo (USP) Felipe Ramos Paiva, de 24 anos. O inquérito foi concluído no fim desta manhã. A Justiça agora tem prazo de três dias para aceitar ou não o pedido. 

O caso estava sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). No último dia 13, em Osasco, na Grande São Paulo, foi preso Daniel Paula Celeste Souza, principal suspeito do crime, que aconteceu no dia 18 de maio, no bolsão de estacionamento da Faculdade de Economia e Administração (FEA) da USP. O universitário foi encontrado morto com um tiro na cabeça ao lado de seu veículo.

No dia 9 de junho, outro suspeito, Irlan Graciano Santiago, de 22 anos, se entregou e confessou sua participação no crime, mas não a autoria da morte. Sem antecedentes criminais, ele foi liberado. A Justiça, porém, decretou sua prisão preventiva e ele foi detido na Favela São Remo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email