Advogada da Odebrecht cogita fazer denúncia internacional contra Moro por ‘violação aos direitos humanos’

A advogada da Odebrecht, Dora Cavalcanti, fez críticas ao juiz da Operação Lava Jato, Sérgio Moro. Ela diz que as prisões de executivos da empreiteira estão calcadas numa análise antecipada de uma “acusação que não está posta”

Advogada da Odebrecht, Dora Cavalcanti
Advogada da Odebrecht, Dora Cavalcanti (Foto: Marcelo Justo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A advogada Dora Cavalcanti, da Odebrecht, criticou o juiz Sergio Moro pela inconsistência técnica subscrita na Operçao Lava Jato. Ela afirmou: “estou estudando como fazer uma denúncia até internacional pela violação de direitos humanos dos meus clientes. O que está acontecendo é muito grave.”

Confira alguns trechos da entrevista que Dora Cavalcanti concedeu ao jornal O Globo

Sobre a denúncia que pesa contra a Odebrecht por formação de cartel e fraude a licitações na Petrobras, ela diz: 

“Da perspectiva da defesa, enquanto não existe essa denúncia e sequer nossos diretores foram indiciados e denunciados, temos que concentrar esforços em libertá-los. O Ministério Publico Federal está tentando antecipar juízo de mérito. Eu não conheço a acusação porque ela não está formulada. Minha prioridade passa a ser a desnecessidade dessa prisão preventiva, dessa antecipação de um julgamento sem ter acusações postas. Estamos numa inversão total de valores.”

Sobre as críticas a Moro, ela afirma: 

“Sim. Na verdade, a prisão de todos, inclusive de Alexandrino Alencar (ex-diretor de Relações Institucionais da empreiteira), são prisões baseadas numa análise antecipada de uma acusação que não está posta. O que me parece que existe na Operação Lava-Jato, e isso já foi objeto de análise no Supremo Tribunal Federal, é uma concepção equivocada sobre prisão preventiva.”

(...) 

Achamos que está havendo violação dos direitos humanos mais básicos do cidadão. Estamos analisando, do ponto de vista da legislação brasileira e internacional, com a premissa de que: você vem a público esclarecer e um juiz de Direito vê isso como motivo para manutenção de prisão das pessoas físicas. Estou estudando como fazer uma denúncia até internacional pela violação de direitos humanos dos meus clientes. O que está acontecendo é muito grave.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247