Alta dos reservatórios evita racionamento de energia

Hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste alcançaram o patamar de 30% de armazenamento, mínimo necessário para evitar a necessidade de racionamento de energia, segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga; no encontro realizado no início de março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reduziu o risco de déficit nos reservatórios de 7,3% para 6,1%

Hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste alcançaram o patamar de 30% de armazenamento, mínimo necessário para evitar a necessidade de racionamento de energia, segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga; no encontro realizado no início de março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reduziu o risco de déficit nos reservatórios de 7,3% para 6,1%
Hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste alcançaram o patamar de 30% de armazenamento, mínimo necessário para evitar a necessidade de racionamento de energia, segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga; no encontro realizado no início de março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reduziu o risco de déficit nos reservatórios de 7,3% para 6,1% (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Os reservatórios das hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste alcançaram o patamar de 30% de armazenamento, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), no último domingo.

De acordo com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, trata-se do mínimo necessário para evitar a necessidade de racionamento de energia.

No encontro realizado no início de março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reduziu o risco de déficit no Sudeste/Centro-Oeste, de 7,3% para 6,1%. Indice deve cair ainda mais. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) também reviu a projeção do consumo de energia no país este ano, passando de previsão de alta de 3% para estimativa de queda de 0,5% - primeiro sinal de recuo do consumo de energia em 2015 divulgado pelo governo.

Leia aqui reportagem de Rodrigo Polito sobre o assunto.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247