Altman: Bolsonaro quer subordinar o centro à extrema-direita

Sobre o embate entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o governo Bolsonaro, o jornalista Breno Altman avalia que "há uma tensão entre as duas frações do campo conservador" e que "Bolsonaro quer utilizar a reforma da Previdência para aplastar a direita e subordiná-la ao seu comando, assim como já fez durante a campanha eleitoral"; assista

Altman: Bolsonaro quer subordinar o centro à extrema-direita
Altman: Bolsonaro quer subordinar o centro à extrema-direita

247 - O jornalista e editor do Portal Opera Mundi Breno Altman analisa as últimas rusgas envolvendo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e o governo, e considera que "há uma tensão entre as duas frações do campo conservador" e que "Bolsonaro quer utilizar a reforma da Previdência para aplastar a direita e subordiná-la ao seu comando, assim como já fez durante a campanha eleitoral".

Em sua visão, a crise entre o governo Bolsonaro e Congresso Nacional "aumenta as chances para barrar a reforma da Previdência". Ele também considera último dia 22 de março, data que o movimento sindical mobilizou manifestações em todo o País contra a reforma da Previdência, como "vitorioso". 

Lava Jato

Altman considera que o fato da Lava Jato ter detido o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco [sogro de Rodrigo Maia] foi uma estratégia para amparar o governo. "A operação veio em seu socorro [de Bolsoanro] na semana passada, arreganhando os dentes, deixando claro que ela é capaz de deixar mortos e feridos entre os parlamentares".

Em sua visão, Bolsonaro que implementar um clima de medo entre os parlamentares para que "recomponham com seu governo".

Venezuela

Dois aviões da Força Aérea da Rússia aterrizaram no principal aeroporto da Venezuela, no último sábado (23), carregando um oficial russo de Defesa e quase 100 soldados, em meio ao fortalecimento de laços entre Caracas e Moscou.

Altman esclarece que a delegação de militares russos enviados à Caracas "não é uma tropa de combate como a mídia de direita salientou". "São técnicos que irão treinar militares venezuelanos. Tal ação faz parte de um acordo de cooperação entre os dois países", elucida.

Guaidó

O jornalista segue sua narrativa e expõe que o golpe orquestrado por Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente da Venezuela, "naufragou" e que a oposição ao governo Maduro encontra-se "completamente dividida".

Inscreva-se na TV 247 e confira a análise: 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247