Altman: caso Dallagnol é um exemplo explícito de corrupção

O jornalista Breno Altman analisa as últimas denúncias da Vaza Jato que incriminam o procurador da República Deltan Dallagnol e aponta que grande parte do sistema de justiça está contaminado; “O caso Dallagnol é um exemplo explícito de corrupção”, condena; assista

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em sua participação semanal na TV 247, o jornalista Breno Altman, editor do site Opera Mundi, analisa as últimas denúncias da Vaza Jato que incriminam o procurador da República Deltan Dallagnol e aponta que grande parte do sistema de Justiça está contaminado. “O caso Dallagnol é um exemplo título de corrupção”, avalia.

As mensagens divulgadas pela Vaza Jato no jornal Folha de S.Paulo e revista Veja no domingo revelam que Dallagnol conversou com colegas sobre como obter lucro ou benesses com a realização de palestras sobre combate à corrupção e boas práticas, pagas por empresas e entidades. Além disso, ele relatou ter tido "encontros fortuitos" com o desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF-4. 

Altman constata que as mensagens revelam que Dallagnol “aproveitou o conluio para lucrar”. “Ele abriu a caixa registradora para auferir benefícios pessoais”, expõe. “Quanto mais essa operação se torna um espetáculo, mais dinheiro entra nas contas de Dallagnol”, completa. 

Fica comprovado, com provas cada vez mais sólidos, que o "conluio" vai além de Curitiba e reforça que tinha como plano alterar o resultado das eleições presidenciais.

Outros temas comentados por Breno Altman foram a indicação do presidente Jair Bolsonaro de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, como embaixador nos Estados Unidos, e a aprovação em primeiro turno da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Para ele, a única maneira de reverter essa derrota é "a esquerda colocar povo na rua".

 Inscreva-se na TV 247 e assista programa com Breno Altman:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247