AMB repudia Temer por espionar Fachin

Em nota pública assinada por seu presidente, Jayme de Oliveira, a Associação dos Magistrados Brasileiros repudiou informação de que Michel Temer mandou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) espionar o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator do processo contra ele na corte; "A AMB repudia veementemente qualquer forma de pressão ao Judiciário e conclama a magistratura a manter-se em estado de alerta e vigilância permanentes. Cobramos das autoridades envolvidas amplo esclarecimento dos fatos, em caráter de urgência", diz Jayme

Em nota pública assinada por seu presidente, Jayme de Oliveira, a Associação dos Magistrados Brasileiros repudiou informação de que Michel Temer mandou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) espionar o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator do processo contra ele na corte; "A AMB repudia veementemente qualquer forma de pressão ao Judiciário e conclama a magistratura a manter-se em estado de alerta e vigilância permanentes. Cobramos das autoridades envolvidas amplo esclarecimento dos fatos, em caráter de urgência", diz Jayme
Em nota pública assinada por seu presidente, Jayme de Oliveira, a Associação dos Magistrados Brasileiros repudiou informação de que Michel Temer mandou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) espionar o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator do processo contra ele na corte; "A AMB repudia veementemente qualquer forma de pressão ao Judiciário e conclama a magistratura a manter-se em estado de alerta e vigilância permanentes. Cobramos das autoridades envolvidas amplo esclarecimento dos fatos, em caráter de urgência", diz Jayme (Foto: Romulo Faro)

247 - Em nota pública assinada por seu presidente, Jayme de Oliveira, a Associação dos Magistrados Brasileiros repudiou informação de que Michel Temer mandou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) espionar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator do processo contra ele na corte. Abaixo a íntegra da nota.

Em nota pública, AMB repudia qualquer forma de pressão ao Judiciário

As notícias veiculadas pela imprensa relatando que a Presidência da República teria acionado a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para investigar o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), é um fato tão grave que não pode permanecer sem esclarecimento.

Sendo as notícias procedentes, se caracterizará a quebra da harmonia e independência entre os Poderes da República, para além das infrações penais ocorridas. Estará em risco a democracia brasileira.

A AMB repudia veementemente qualquer forma de pressão ao Judiciário e conclama a magistratura a manter-se em estado de alerta e vigilância permanentes. Cobramos das autoridades envolvidas amplo esclarecimento dos fatos, em caráter de urgência.

Brasília, 10 de junho de 2017.

Jayme de Oliveira
Presidente da AMB

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247