Anistia Internacional condena crime que pode levar Bolsonaro ao impeachment

Declaração criminosa de Jair Bolsonaro sobre Fernando Santa Cruz, assassinado na ditadura militar, foi rebatida pela Anistia Internacional; a diretora executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck, repudiou o tom de torturador do ex-capitão; ela disse: "o Brasil deve assumir sua responsabilidade, e adotar todas as medidas necessárias para que casos como esses sejam levados à justiça"

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)

247 - Declaração criminosa de Jair Bolsonaro sobre Fernando Santa Cruz, assassinado na ditadura militar, foi rebatida pela Anistia Internacional. A diretora executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck, repudiou o tom de torturador do ex-capitão. Ela disse: "o Brasil deve assumir sua responsabilidade, e adotar todas as medidas necessárias para que casos como esses sejam levados à justiça".

A nota ainda agrega: "o direito à memória, justiça, verdade e reparação das vitimas, sobreviventes e suas famílias deve ser defendido e promovido pelo Estado Brasileiro e seus representantes."

Para Jurema, "é terrível que o filho de um desaparecido pela ditadura tenha que ouvir do presidente do Brasil, que deveria ser o defensor máximo do respeito e da justiça no país, declarações tão duras."

A reportagem do portal Uol ainda destaca que "a diretora da Anistia reiterou o posicionamento da organização que luta pela elucidação de casos que envolvem violações aos direitos humanos."

Ela disse: "defendemos a revogação da Lei de Anistia de 1979, eliminando os dispositivos que impedem a investigação e a sanção de graves violações de direitos humanos, a investigação e responsabilização dos crimes contra a humanidade cometidos por agentes do Estado durante o regime militar."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247